Entre o erudito e o popular

aproximações e distanciamentos na formação da música urbana brasileira

  • Luciana Fernandes Rosa Universidade de São Paulo
  • Silvia Maria Pires Cabrera Berg Universidade de São Paulo
Palavras-chave: música brasileira, choro, erudito e popular, música popular, música urbana

Resumo

Este artigo discute a classificação dos gêneros formadores da música urbana brasileira nas categorias de música popular e erudita, desde meados do século XVII até início do século XX. Os conceitos e distinções analisados por Didier Francfort e outros autores serão aqui exemplificados nos processos de construção e desenvolvimento dos gêneros musicais formadores da música brasileira, bem como os mecanismos de apropriação e transferência de gêneros entre o universo erudito e o popular. Os gêneros analisados são a modinha, pertencente ao período colonial, e as danças europeias e gêneros executados pelas bandas de corporação no período joanino, como a polca e o schottisch, assim como seus compositores e suas influências musicais diversas, que culminaram em estilos musicais híbridos. O artigo também demonstra como o esnobismo influenciou a aceitação de compositores brasileiros pelas classes dominantes de suas épocas, e o efeito que esta rejeição provocou nos compositores e no julgamento de suas obras.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Luciana Fernandes Rosa, Universidade de São Paulo

Luciana Fernandes Rosa é bacharel em violoncelo e licenciada em música pela Universidade de São Paulo e mestre em violoncelo pela Louisiana State University (EUA). Tocou em diversas orquestras no Brasil e EUA. Tem importante atuação na música popular, tendo colaborado com expressivos artistas e grupos no país. Recebeu menção honrosa como compositora no 25o Programa Nascente da USP. Lecionou em importantes projetos sociais como Instituto Baccarelli, SESC e Guri. É professora certificada pelo Método Suzuki. Apresentou trabalhos acadêmicos e ministrou oficinas no México, em Cuba e em várias universidades brasileiras. Realiza doutoramento na Escola de Comunicações e Artes da USP na área de Educação Musical, com pesquisa sobre o ensino do choro.

Silvia Maria Pires Cabrera Berg, Universidade de São Paulo

Silvia Maria Pires Cabrera Berg, compositora e regente paulistana, é bacharel em composição pela ECA-USP, pós-graduada na Universidade de Oslo e doutora pela Universidade de Copenhague. Atualmente é docente do Departamento de Música da FFLCRP-USP, coordenadora do Lapecipem, do arquivo Edmar Ferretti e do Intercâmbio Acadêmico Internacional com o Bornekorakademiet (Dinamarca), e membro do NAP-Cipem do Departamento de Música da FFCLRP. Fundou a Oficina Experimental do Departamento de Música da mesma faculdade, grupo de câmera de excelência que abraça alunos de todos os anos da graduação e ex-alunos, e é dedicado à pesquisa e performance vocal e instrumental, sendo sua diretora e regente desde a fundação.

Referências

ARAÚJO, Mozart de. A modinha e o lundu do século XVIII. São Paulo: Ricordi Brasileira, 1963.

BARBOSA, Domingos Caldas. Muzica escolhida da Viola de Lereno (1799). Lisboa: Estar, 2003.

BÉHAGUE, Gerard. Biblioteca da Ajuda (Lisbon) Mss. 1595 / 1596: Two Eighteenth- Century Anonymous Collections of Modinhas. Anuario, Lisboa, v. 4, p. 44-81, 1968.

BESSA, Virgínia de Almeida. A escuta singular de Pixinguinha: história e música popular no Brasil dos anos 1920 e 1930. São Paulo: Alameda, 2010.

CASTAGNA, Paulo. A modinha e o lundu nos séculos XVIII e XIX. São Paulo: Unesp, 2003. (Apostila do curso História da Música Brasileira). Disponível em: <https://escriturasvirreinales.files.wordpress.com/2014/04/lundum-y-modinha.pdf>. Acesso em: 18 jul. 2018.

CASTRO, Marcos Câmara. Música erudita e esnobismo: contribuição para uma etnografia das práticas contemporâneas. In: CONGRESSO DA ASSOCIAÇÃO NACIONAL DE PESQUISA E PÓS-GRADUAÇÃO EM MÚSICA, 22., 2012. João Pessoa. Anais… João Pessoa: ANPPOM, 2012. p. 1341-1348. Disponível em: <http://disciplinas.stoa.usp.br/pluginfile.php/1010561/mod_resource/content/0/PREENCHIDO_Template_para_trabalhos_escritos_XXII_Congresso_Anppom.pdf>. Acesso em: 18 jul. 2018.

DINIZ, André. O Rio musical de Anacleto de Medeiros: a vida, a obra e o tempo de um mestre do choro. Rio de Janeiro: Jorge Zahar, 2007.

DINIZ, Edinha. Chiquinha Gonzaga: uma história de vida. Rio de Janeiro: Jorge Zahar, 2009.

FISCHERMAN, Diego. Efecto Beethoven: complejidad y valor en la música de tradición popular. Buenos Aires: Paidós, 2004.

FRANCFORT, Didier. Músicas populares e músicas eruditas: uma distinção inoperante? Tradução de Marcos Câmara de Castro. Tradução de: La musique savante manque à notre désir (Rimbaud, Illuminations). [S.l]: [s.n.], 2014. Disponível em: <https://bit.ly/2BGfyVV>. Acesso em: 18 jul. 2018.

IARA (Rasga o coração) – Banda da Casa Edison (1907). 2’40”. Leonardo Thurler. YouTube, 2011. Disponível em: <https://www.youtube.com/watch?v=k-DJrbGACWA>. Acesso em: 18 jul. 2018.

LIMA, Edilson Vicente. A modinha e o lundu: dois clássicos nos trópicos. 2010. 247 f. Tese (Doutorado em Música) – Escola de Comunicação e Artes, Universidade de São Paulo, São Paulo, 2010.

MACHADO, Cacá. Batuque: mediadores culturais do final do século XIX. In: MORAES, José Geraldo Vinci de; SALIBA, Elias T. (Orgs.). História e música no Brasil. São Paulo: Alameda, 2010. p. 119-160,

MONTEIRO, Maurício. Aspectos da música no Brasil na primeira metade do século XIX. In: MORAES, José Geraldo Vinci de; SALIBA, Elias T. (Orgs.). História e música no Brasil. São Paulo: Alameda, 2010. p. 79-116.

NORONHA, Lina Maria Ribeiro de. Darius Milhaud e o Brasil. In: SIMPÓSIO BRASILEIRO DE PÓS-GRADUANDOS EM MÚSICA, 1., 2010, Rio de Janeiro. Anais… Rio de Janeiro: Simpom 2010. p. 598-607. Disponível em: . Acesso em: 18 jul. 2018.

PINTO, Alexandre G. O Choro: reminiscências dos Chorões antigos. 3. ed. rev. Rio de Janeiro: Acari Records, 2014.

POUIVET, Roger. L'Oeuvre d'art à l'âge de sa mondialisation: un essai d'ontologie de l'art de masse. Bruxelles: La Lettre Volée, 2003.

SEVERIANO, Jairo. Uma história da música popular brasileira. São Paulo: Editora 34, 2013.

TINHORÃO, José Ramos. Domingos Caldas Barbosa: o poeta da viola, da modinha e do lundu (1740-1800). São Paulo: Editora 34, 2004.

______. História social da música popular brasileira. São Paulo: Editora 34, 1998.

______. Pequena história da música popular: segundo seus gênero. 7. ed. São Paulo: Editora 34, 2013.

VEIGA, Manuel. O estudo da modinha brasileira. Latin American Music Review/Revista de Música Latinoamericana, Austin, v. 19, n. 1, p. 47-91, 1998. Disponível em: <http://hugoribeiro.com.br/biblioteca-digital/Veiga-Modinha-LAMR.pdf>. Acesso em: 18 jul. 2018.

VICENTE Celestino – Rasga o coração. 2’46”. Helio Francisco. YouTube, 2011. Disponível em: <https://www.youtube.com/watch?v=tg2T01oTjGk>. Acesso em: 18 jul. 2018.

VILLA-LOBOS – Choros n° 10 “Rasga o coração. 2’19”. Daian Tai. YouTube, 2010. Disponível em: <http://youtu.be/7UnVmG-DDhY?t=2m17s>. Acesso em: 18 jul. 2018.

Publicado
2018-08-05
Como Citar
Rosa, L., & Berg, S. (2018). Entre o erudito e o popular. Revista Da Tulha, 4(1), 69-90. https://doi.org/10.11606/issn.2447-7117.rt.2018.145105
Seção
Artigo