Almir Sater

considerações sobre a instrumentação da composição “Luzeiro” do álbum Instrumental, lançado em 1985

  • Max Junior Sales Universidade de São Paulo
Palavras-chave: música brasileira, música instrumental, viola de dez cordas, Almir Sater, Luzeiro

Resumo

No Brasil, os primeiros discos gravados no segmento da música instrumental de viola são da década de 1960. Neste segmento, músicos e pesquisadores reconhecem algumas inovações inauguradas pela produção do músico Almir Sater. Tomando como referência a audição crítica de discos instrumentais de outros violeiros, buscamos neste artigo tecer algumas considerações sobre o tratamento dado à instrumentação da composição “Luzeiro”, registrada no ano de 1985 em seu disco intitulado Instrumental. Ao término deste trabalho, verificou-se a grande relevância que esse aspecto representa para essa gravação da composição.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Max Junior Sales, Universidade de São Paulo

Mestrando em musicologia e etnomusicologia pela Universidade de São Paulo (USP) sob orientação do Prof. Dr. Ivan Vilela. Possui graduação em música pela Universidade Federal de São João Del-Rei (2010) e especialização em Música Popular pela Universidade da Música Popular de Barbacena, a Bituca (2014), onde estudou harmonia, criação musical, arranjo e método Kodaly. Em São João Del-Rei (MG), ministra aulas particulares de viola caipira, violão, teoria e prática em conjunto. Desde 2012 dirige o Pingo D’Água, grupo formado por violeiros que realiza apresentações e pesquisa relacionadas à música caipira. Como violeiro, entre outros trabalhos, destaca-se sua atuação como instrumentista, compositor e arranjador.

Referências

ANDRADE, Renato. A fantástica viola de Renato Andrade. [s.l.]: Chantecler, 1977.

BAMBICO. Função de violeiro. [s.l.]: Chantecler, 1979.

BONDÍA, Jorge Larrossa. Notas sobre a experiência e o saber de experiência. Revista Brasileira de Educação, Rio de Janeiro, n. 19, p. 20-28, abr. 2002.

CARDOSO, Bruno Aragão. A viola embaixatriz de Renato Andrade: contextualização das turnês patrocinadas pela Ditadura Militar e ponderações sobre a face caipira do violeiro. 2012. Dissertação (Mestrado em Música) – Universidade Federal de Minas Gerais, Belo Horizonte, 2012.

CARREIRO, Tião. É isto que o povo quer. [s.l.]: Chantecler, 1976.

LARUE, Jan. Análisis del estilo musical: pautas sobre la contribución a la música del sonido, la armonía, la melodía, el ritmo y el crecimiento formal. Barcelona: Labor, 1989.

MONTE, Heraldo; PASCOAL, Hermeto; BARROS, Theo de; MOREIRA, Airto. Quarteto novo. Rio de Janeiro: EMI-Odeon, 1967.

NOGUEIRA, Ascendino Theodoro. Viola brasileira. [s.l.]: Chantecler, 1963.

NUNES, Cacai. Um Brasil de viola: tradições e modernidades da viola caipira. São Paulo: Funarte, 2010. (Edital Bolsa Funarte de Produção Crítica sobre as Interfaces dos Conteúdos Artísticos e Culturas Populares).

PEREIRA, Vinícius Muniz. Entre o Sertão e a sala de concerto: um estudo da obra de Renato Andrade. 2011. Dissertação (Mestrado em Música) – Instituto de Artes da Universidade Estadual de Campinas, Campinas, 2011.

PINTO, João Paulo do Amaral. A viola caipira de Tião Carreiro. 2008. Dissertação (Mestrado em Música) – Instituto de Artes da Universidade Estadual de Campinas, Campinas, 2008.

RANCHO, Zé do. A viola do Zé. Reio de Janeiro: RCA, 1966.

SATER, Almir. Estradeiro. São Paulo: Continental, 1981.

______. Instrumental. São Paulo: Som da Gente, 1985.

______. Instrumental dois. São Paulo, Galeão, 1990.

SATER, Almir; TEIXEIRA, Renato. +AR. São Paulo: Universal Music, 2018.

SENNA, Caio. Textura musical: forma e metáfora. 2007. Tese (Doutorado em Música) – Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro, Rio de Janeiro, 2007.

SOUZA, Andréa Carneiro de. Viola instrumental brasileira. Rio de Janeiro: Artviva Editora, 2005.

VILELA, Ivan. Cantando a própria história: música caipira e enraizamento. São Paulo: Edusp, 2013.

______. Ouvir a música como uma experiência imprescindível para se fazer musicologia. Música em Perspectiva, Curitiba, v. 7, n. 2, p. 101-131, dez. 2014.

ZAN, José Roberto. Do êxodo rural a indústria cultural. Jornal da Unicamp, Campinas, n. 219, jul. 2003.

Publicado
2018-09-13
Como Citar
Sales, M. (2018). Almir Sater. Revista Da Tulha, 4(1), 91-107. https://doi.org/10.11606/issn.2447-7117.rt.2018.148693
Seção
Artigo