Contribuições da rítmica de Dalcroze à preparação do colaborador musical

  • Silvia Berg Universidade de São Paulo
  • Daniela Amaral Rodrigues Nicoletti Universidade de São Paulo
Palavras-chave: colaboração musical, pedagogia musical, rítmica dalcroze, performance musical, música de câmara

Resumo

O presente artigo, pautado na pesquisa da obra de Émile Jaques-Dalcroze, trata das contribuições que sua Rítmica pode vir a oferecer à preparação do pianista, com foco na colaboração musical, à medida que tem por objetivos a superação de arritmias, automatismos e a integração entre o corpo e a audição, bem como o desenvolvimento da escuta e da criatividade. Para isso, são delineadas as particularidades dessa atuação artística, tomando como principal referência teórica a obra de Martin Katz. Entende-se que essas contribuições podem, do mesmo modo, ser aplicadas a outros instrumentistas que se dedicam à música de câmara, pelas suas semelhanças performáticas, no que diz respeito especialmente à necessidade de perceber e corresponder musicalmente ao outro em uma interpretação conjunta.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Silvia Berg, Universidade de São Paulo

Silvia Maria Pires Cabrera Berg, natural de São Paulo, é bacharel em Música com Habilitação em Composição pela Escola de Comunicações e Artes da Universidade São Paulo (ECA-USP). Como bolsista do CNPq, realizou seus estudos de pós-graduação na Universidade de Oslo, onde fixou residência por 24 anos. Fundadora e regente do Ensemble Øresund de 1999 a 2000. Regente titular até janeiro de 2008, do tradicional Københavns Kammerkor e do Grupo AmaCantus. Realizou mais de duzentos concertos na Europa antes de seu retorno ao Brasil em 2008. Como compositora, têm tido suas obras executadas regularmente em concertos e festivais na Europa, América Latina e Estados Unidos, destacando-se sua participação no ISCM World Music Days, de Zagreb, em 2005, com ?Dobles del Páramo? para piano solo. Desde maio de 2008 é docente do Departamento de Música da ECARP (atualmente Departamento de Música da FFCLRP), na área de Educação Musical, atuando ainda nas áreas de Percepção Musical e Regência e Canto Coral.

Daniela Amaral Rodrigues Nicoletti, Universidade de São Paulo

Daniela Amaral Rodrigues Nicoletti é doutoranda em Música pela Escola de Comunicações e Artes da Universidade de São Paulo (ECA-USP) e mestre pela mesma instituição. É bacharel em Composição e Regência, pelo Instituto de Artes da UNESP, e formada em Canto, pela Fundação das Artes de São Caetano do Sul. Sua carreira de musicista desdobra-se em três focos: canto, regência e educação musical. Atua, como educadora musical, no Ensino Formal e Informal, com crianças, desde 2004. Foi ministrante de oficinas de Canto-Coral pela Secretaria Municipal de Cultura de São Bernardo do Campo e pelo Sesc, preparadora vocal do Coro Municipal do Guarujá, coordenadora e artista-educadora do Programa de Iniciação Artística (PIÁ) da Secretaria Municipal de Cultura de São Paulo. Foi fundadora do Coral Patois, da Aliança Francesa, em 2010, tendo sido responsável por sua direção e preparação vocal até 2014, e do Núcleo Tessituras. Dedica-se à Música de Câmara, em diversas formações.

Referências

BACHMAN, Marie-Laure. Dalcroze today: an education through and into music. Oxford: Claredon Press, 1993.

BALLESTERO, Luiz Ricardo Basso. “As relações entre texto e música na performance da música vocal, a partir de publicações de pianistas colaboradores”. In: CONGRESSO DA ASSOCIAÇÃO NACIONAL DE PESQUISA E PÓS-GRADUAÇÃO EM MÚSICA, 24., 2014, São Paulo. Anais... São Paulo: ANPPOM, 2014.

BERCHTOLD, Alfred. Émile Jaques-Dalcroze et son temps. Lausanne: Editions L’Âge d’Homme, 2005.

DALCROZE, Émile Jaques. Le rythme, la musique et l’éducation. Lausanne: Foetisch Frères, 1921.

______. La musique et nous: notes sur notre double vie. Genève: PerretGentil, 1945.

______. Notes Bariolées. Genebra: Édition J.-H. Jeheber, 1948.

______. La rythmique. Lausanne: Jobin & Cie Éditeurs, 1916, 2 v.

______. GARDNER, Howard. Estruturas da Mente: a Teoria das Inteligências Múltiplas. Tradução: Sandra Costa. Porto Alegre: Artes Médicas Sul, 1994.

KATZ, Martin. The Complete Collaborator: the pianist as partner. New York: Oxford University Press, 2009.

LIMA, Sonia Albano (Org.). Performance & interpretação musical: uma prática interdisciplinar. São Paulo: Musa, 2006.

NICOLETTI, Daniela Amaral Rodrigues. A educação estética através da música no segundo setênio: aproximações entre Rudolf Steiner e Émile Jaques-Dalcroze. 2017. Dissertação (Mestrado). Universidade de São Paulo, São Paulo, 2017.

VASCONCELOS, António Ângelo. O conservatório de música: professores, organização e políticas. Lisboa: Instituto de Inovação Educacional, 2002. Disponível em: <http://issuu-download.tiny-tools.com/print.php?doc_id=140215171512-fecb2c2391b02a4a55c0923a1861332d>. Acesso em: 12 out. 2018.

Publicado
2018-09-13
Como Citar
Berg, S., & Nicoletti, D. (2018). Contribuições da rítmica de Dalcroze à preparação do colaborador musical. Revista Da Tulha, 4(1), 138-161. https://doi.org/10.11606/issn.2447-7117.rt.2018.148894
Seção
Artigo