Projeto QUARA - Prevalência de abusos, maus-tratos e outras agressões durante a formação médica: um estudo de corte transversal em São Paulo, Brasil, 2013

  • Abraão Deyvid Alves de Lima Barreto Universidade de São Paulo, Faculdade de Medicina
  • Fernanda Babler Universidade de São Paulo, Faculdade de Medicina
  • Irene Yamamoto do Vale Quaresma Universidade de São Paulo, Faculdade de Medicina
  • Juliana Naomy Lacerda Arakaki Universidade de São Paulo, Faculdade de Medicina
  • Maria Fernanda Tourinho Peres Universidade de São Paulo, Faculdade de Medicina
Palavras-chave: Estudantes de medicina, Violência, Agressão, Bullying, Estudos transversais, Prevalência, Brasil.

Resumo

Introdução: Estudos apontam altas prevalências de agressões, abusos e maus-tratos contra alunos de medicina e sugerem que estudantes vitimados sentem-se mais deprimidos, insatisfeitos com a carreira e tendem a ter baixa autoestima. Estudos sobre esse problema no Brasil são escassos. O nosso objetivo é estimar a prevalência de agressões, abusos e maus tratos entre estudantes de medicina durante a graduação, considerando o tipo, perpetrador, a frequência e gravidade percebida. Metodologia: Estudo de corte transversal com estudantes de medicina de uma universidade estadual paulista. Enviamos um questionário on-line para 1072 estudantes, dos 344 respondentes, 317 foram incluídos na análise. Utilizados a plataforma REDCAP para coleta de dados entre 11/09/2013 e 13/12/2013. Resultados: A média de idade foi 22,24 anos (± 2,89), 49% eram homens e aproximadamente 45% eram do ciclo básico. A quase totalidade (92,31%) referiu ter sofrido ao menos um tipo de agressão durante o curso. Os tipos de agressões mais comuns foram depreciação/humilhação (73,1%) e agressão verbal (59,99%). Foi alta a prevalência de abuso ou discriminação sexual (43,32%). Violência física foi referida por 13% dos alunos. Os principais perpetradores são os próprios estudantes (83,75%) e professores (72,8%). Aproximadamente 30% dos alunos referem ter sido agredidos 5 vezes ou mais e 70% das vítimas consideraram os episódios muito importantes. Conclusão: A prevalência de agressões, abusos e maus-tratos é alta entre estudantes de medicina. Os episódios são repetitivos e considerados graves pelos alunos. Torna-se necessário investigar as repercussões destas situações na saúde mental e na qualidade de vida dos estudantes.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Abraão Deyvid Alves de Lima Barreto, Universidade de São Paulo, Faculdade de Medicina

1o lugar - Prêmio Oswaldo Cruz – Área Clínica no 33o COMU - Congresso Médico Universitário da FMUSP, SP, 31 de out. a 02 de nov. de 2014. Pesquisa realizada com apoio da FAPESP (Processo no. 2013/11989-3).

 Acadêmico de Medicina, Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo. E-mail: abraaousp100@gmail.com 

Fernanda Babler, Universidade de São Paulo, Faculdade de Medicina

1o lugar - Prêmio Oswaldo Cruz – Área Clínica no 33o COMU - Congresso Médico Universitário da FMUSP, SP, 31 de out. a 02 de nov. de 2014.
Pesquisa realizada com apoio da FAPESP (Processo no. 2013/11989-3); Fernanda Babler - bolsa de Iniciação Científica da FAPESP (processo no. 2013/08795-2).

Acadêmica de Medicina, Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo. E-mail: fbabler@gmail.com
Irene Yamamoto do Vale Quaresma, Universidade de São Paulo, Faculdade de Medicina

1o lugar - Prêmio Oswaldo Cruz – Área Clínica no 33o COMU - Congresso Médico Universitário da FMUSP, SP, 31 de out. a 02 de nov. de 2014.
Pesquisa realizada com apoio da FAPESP (Processo no. 2013/11989-3); Irene Yamamoto do Vale Quaresma - bolsa de Iniciação Científica PIBIC/CNPq.

Acadêmica de Medicina, Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo. E-mail: ireneyama@hotmail.com
Juliana Naomy Lacerda Arakaki, Universidade de São Paulo, Faculdade de Medicina

1o lugar - Prêmio Oswaldo Cruz – Área Clínica no 33o COMU - Congresso Médico Universitário da FMUSP, SP, 31 de out. a 02 de nov. de 2014.
Pesquisa realizada com apoio da FAPESP (Processo no. 2013/11989-3); Juliana Naomy - bolsa de Iniciação Científica da FAPESP (processo no. 2013/08788-6).

Acadêmica de Medicina, Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo. E-mail: arakaki.naomy@gmail.com
Maria Fernanda Tourinho Peres, Universidade de São Paulo, Faculdade de Medicina

Professora, Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo.

1o lugar - Prêmio Oswaldo Cruz – Área Clínica no 33o COMU - Congresso Médico Universitário da FMUSP, SP, 31 de out. a 02 de nov. de 2014.
Pesquisa realizada com apoio da FAPESP (Processo no. 2013/11989-3).

Publicado
2015-03-05
Como Citar
Barreto, A., Babler, F., Quaresma, I., Arakaki, J., & Peres, M. F. (2015). Projeto QUARA - Prevalência de abusos, maus-tratos e outras agressões durante a formação médica: um estudo de corte transversal em São Paulo, Brasil, 2013. Revista De Medicina, 94(1), 6-14. https://doi.org/10.11606/issn.1679-9836.v94i1p6-14
Seção
COMU - Prêmio Oswaldo Cruz