Transplante de órgãos pélvicos: uma nova proposta de tratamento para incontinência fecal e urinária

  • Leandro Ryuchi Iuamoto Universidade de São Paulo, Faculdade de Medicina
  • Maria Clara de Camargo Traldi Faculdade de Ciências Médicas da Santa Casa de São Paulo
  • Victor Subyung Lee Faculdade de Ciências Médicas da Santa Casa de São Paulo
  • Jun Araki University of Tokyo, Department of Plastic Surgery
  • Flávio Henrique Ferreira Galvão Universidade de São Paulo, Faculdade de Medicina, Disciplina de Transplante e Cirurgia do Fígado
  • Luiz Augusto Carneiro D’Albuquerque Universidade de São Paulo, Faculdade de Medicina, Disciplina de Transplante e Cirurgia do Fígado
Palavras-chave: Incontinência fecal, Incontinência urinária, Transplante de tecidos, Canal anal, Genitália, Ovário, Útero, Literatura de revisão como assunto.

Resumo

Incontinência fecal e urinária é um problema atual de saúde pública, com enorme impacto social e econômico. Tratamentos para esse problema são insuficientes. Após investigação anatômica, percebemos o assoalho pélvico como tecido composto independente que compartilha pedículo vascular (ilíaca interna) e neuronal (pudendo) comum. Neste manuscrito nós descrevemos transplante de órgãos pélvicos em ratos e cadáveres. Doador - Uma incisão combinada perineal e abdominal foi realizada. A dissecção progrediu perto do anel pélvico; o nervo pudendo e seus vasos foram divididos permitindo a mobilização total do assoalho pélvico. Através da incisão abdominal, genitália, bexiga e reto foram mobilizados. A aorta e a veia cava foram isoladas, preservando os vasos ilíacos internos e os vasos espermáticos. Os enxertos contendo pele, complexo muscular, ligamentos, bexiga, uretra, vagina ou pênis, reto, ânus, útero, ovário, testículo e seus condutos foram removidos. Receptor - A mesma estratégia de incisão e dissecção do doador foi realizada. Os vasos ilíacos internos, incluindo vasos retais e nervos pudendo foram divididos e os tecidos do assoalho pélvico foram removidos em bloco. A aorta e a veia cava infra-renal foram isolados, o enxerto foi colocado no abdômen e foi realizada anastomose aorta-aorta e cava-cava. Também realizamos anastomoses do ureter, reto e nervos e vasos pudendo. O assoalho pélvico foi colocado em sua posição original por pontos entre os ligamentos do assoalho pélvico, nervos e vasos pudendo, peritônio e da pele, concluindo a operação. Nesta pesquisa, mostramos que a cirurgia de transplante do assoalho pélvico é viável.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Leandro Ryuchi Iuamoto, Universidade de São Paulo, Faculdade de Medicina

1o lugar Prêmio Monografias no 33o COMU - Congresso Médico Universitário da FMUSP, SP, 31 de out. a 02 de nov. de 2014.
Trabalho desenvolvido na Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo (FMUSP).
 Acadêmico do Curso de Medicina da Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo. E-mail: leandro.iuamoto@gmail.com.

Maria Clara de Camargo Traldi, Faculdade de Ciências Médicas da Santa Casa de São Paulo

1o lugar Prêmio Monografias no 33o COMU - Congresso Médico Universitário da FMUSP, SP, 31 de out. a 02 de nov. de 2014. 
Trabalho desenvolvido na Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo (FMUSP). 

Acadêmica do Curso de Medicina da Faculdade de Ciências Médicas da Santa Casa de São Paulo. E-mail: mariaclaratraldi@yahoo.com.br

Victor Subyung Lee, Faculdade de Ciências Médicas da Santa Casa de São Paulo

1o lugar Prêmio Monografias no 33o COMU - Congresso Médico Universitário da FMUSP, SP, 31 de out. a 02 de nov. de 2014. 
Trabalho desenvolvido na Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo (FMUSP). 

Acadêmico do Curso de Medicina da Faculdade de Ciências Médicas da Santa Casa de São Paulo. E-mail: victorlee00131@gmail.com

Jun Araki, University of Tokyo, Department of Plastic Surgery

1o lugar Prêmio Monografias no 33o COMU - Congresso Médico Universitário da FMUSP, SP, 31 de out. a 02 de nov. de 2014.
Trabalho desenvolvido na Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo (FMUSP).

Researcher, Surgeon and PhD student at Department of Plastic Surgery, University of Tokyo. E-mail: ja980079@yahoo.co.jp/arakij-pla@hu.tokyo.ac.jp
Flávio Henrique Ferreira Galvão, Universidade de São Paulo, Faculdade de Medicina, Disciplina de Transplante e Cirurgia do Fígado

1o lugar Prêmio Monografias no 33o COMU - Congresso Médico Universitário da FMUSP, SP, 31 de out. a 02 de nov. de 2014. 
Trabalho desenvolvido na Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo (FMUSP).

Professor Livre-Docente, Disciplina de Transplante e Cirurgia do Fígado da Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo. E-mail: fgalvao@usp.br

Luiz Augusto Carneiro D’Albuquerque, Universidade de São Paulo, Faculdade de Medicina, Disciplina de Transplante e Cirurgia do Fígado

1o lugar Prêmio Monografias no 33o COMU - Congresso Médico Universitário da FMUSP, SP, 31 de out. a 02 de nov. de 2014. 
Trabalho desenvolvido na Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo (FMUSP).

Professor Titular da Disciplina de Transplante de Órgãos do Aparelho Digestivo do Departamento de Gastroenterologia da Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo. E-mail: profluizcarneiro@gmail.com.

Publicado
2015-03-05
Como Citar
Iuamoto, L., Traldi, M. C., Lee, V., Araki, J., Galvão, F. H., & D’Albuquerque, L. A. (2015). Transplante de órgãos pélvicos: uma nova proposta de tratamento para incontinência fecal e urinária. Revista De Medicina, 94(1), 36-45. https://doi.org/10.11606/issn.1679-9836.v94i1p36-45
Seção
COMU - Prêmio Monografias