Extensão Médica Acadêmica: uma análise retrospectiva dos seis anos do projeto e seu impacto na humanização do cuidado, treinamento clínico e formação multidisciplinar dos alunos da Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo

  • Vinicius Alves Cavalieri Universidade de São Paulo, Faculdade de Medicina
  • Leandro Ryuchi Iuamoto Universidade de São Paulo, Faculdade de Medicina
  • Robert Zawadzki Pfann Universidade de São Paulo, Faculdade de Medicina
  • Rodrigo Hideki Uema Universidade de São Paulo, Faculdade de Medicina
  • Miki Onotera Universidade de São Paulo, Faculdade de Medicina
  • Mauro Shigueharu Oide Junior Universidade de São Paulo, Faculdade de Medicina
Palavras-chave: Educação Médica, Educação Médica Continuada, Relações Comunidade-Instituição, Gestão em Saúde.

Resumo

INTRODUÇÃO: A necessidade de um ensino baseado em comunidade para a formação de profissionais de saúde mais humanizados é evidente e mandatória. A Extensão Médica Acadêmica surge nesse âmbito buscando estimular a formação de profissionais de saúde mais humanizados desde os primeiros anos de faculdade. Estruturado como um projeto de voluntariado que engloba diversos cursos da saúde (fisioterapia, nutrição, fonoaudiologia e medicina), busca-se promover o contato do aluno com a prática profissional, mantendo-o estimulado a estudar, melhorando suas habilidades técnicas e fornecendo atendimento de saúde multiprofissional de qualidade. OBJETIVOS: Analisar a percepção dos membros de medicina quanto ao aprendizado e humanização. Levantar o número de atendimentos e membros por ano nos últimos 6 anos. Analisar a estrutura organizacional do projeto e verificar se atende aos seus objetivos. MÉTODOS: Foram coletados dados dos atendimentos no período de 2009 a 2014, calculando número de atendimentos, número de voluntários por curso, e número de alunos de medicina por ano de graduação. Dados foram obtidos pelo Projeto de Satisfação com questionário respondido por 68 alunos de medicina contendo 5 questões formuladas na escala de Likert de 5 pontos. Utilizamos o Ranking Médio (RM) das respostas para analisar os dados coletados. RESULTADOS: Houve aumento gradativo dos membros, com predomínio de alunos de medicina e dos primeiros anos da faculdade. No primeiro semestre de 2015 existiam 252 acadêmicos, e 40 profissionais. Dos questionários obteve-se um RM de percepção de aprendizado de 4,162 e percepção de humanização de 3,964, sendo 67,6% dos entrevistados alunos do primeiro ano. O total de consultas foi de 1656 e 597 coletas de exames laboratoriais. CONCLUSÃO: A EMA atinge seus objetivos, com um RM de 3,964 na percepção de humanização e 4,162 na de aprendizado. Além disso, observou-se um aumento de voluntários no projeto, e um grande impacto para as comunidades atendidas.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Vinicius Alves Cavalieri, Universidade de São Paulo, Faculdade de Medicina
Graduando de Medicina, Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo. E-mail: vinicius.cavalieri@usp.br
Leandro Ryuchi Iuamoto, Universidade de São Paulo, Faculdade de Medicina
Graduando de Medicina, Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo.
Robert Zawadzki Pfann, Universidade de São Paulo, Faculdade de Medicina
Graduando de Medicina, Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo.
Rodrigo Hideki Uema, Universidade de São Paulo, Faculdade de Medicina
Graduando de Medicina, Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo.
Miki Onotera, Universidade de São Paulo, Faculdade de Medicina
Graduanda de Medicina, Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo.
Mauro Shigueharu Oide Junior, Universidade de São Paulo, Faculdade de Medicina
Graduando de Medicina, Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo.
Publicado
2015-10-29
Como Citar
Cavalieri, V., Iuamoto, L., Pfann, R., Uema, R., Onotera, M., & Oide Junior, M. (2015). Extensão Médica Acadêmica: uma análise retrospectiva dos seis anos do projeto e seu impacto na humanização do cuidado, treinamento clínico e formação multidisciplinar dos alunos da Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo. Revista De Medicina, 94(2), 106-112. https://doi.org/10.11606/issn.1679-9836.v94i2p106-112
Seção
Artigos