Cérebro transparente com a histologia CLARITY

  • Fábio Zanini Universidade Federal de São Paulo, Escola Paulista de Medicina
  • Julia Calixto Gonçalves Universidade Federal de São Paulo, Escola Paulista de Medicina
  • Gabriel Maisonnave Arisi Universidade Federal de São Paulo, Escola Paulista de Medicina, Departamento de Fisiologia
Palavras-chave: Eletroforese, Histoquímica, Fluorescência, Morfologia, Permeabilidade Macromolecular, Macromoléculas in Situ.

Resumo

A microscopia e as técnicas histológicas avançaram muito nossa compreensão da estrutura celular do tecido nervoso. No entanto, a complexa organização tridimensional dos neurônios, células gliais e da vasculatura é perdida no fatiamento do tecido nervoso para sua observação ao microscópio. Métodos elaborados e demorados são utilizados para reconstruir a organização tridimensional dessas células. A técnica histológica CLARITY preserva a estrutura das proteínas celulares “in situ” e torna o tecido nervoso transparente à luz, removendo a grande quantidade de lipídios presente nesse tecido, permitindo estudos envolvendo grandes volumes de diferentes regiões do cérebro. Esta histologia é feita por perfusão de monômeros que, após a polimerização criam um hidrogel híbrido da proteína com o monômero, permitindo a remoção eletroforética dos lipídios, tornando o tecido transparente à luz. Isso permite a visualização de grandes volumes do tecido em microscópios de fluorescência após marcação das proteínas de interesse por imunohistoquímica.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Fábio Zanini, Universidade Federal de São Paulo, Escola Paulista de Medicina
Aluno do quarto ano da graduação de medicina da Escola Paulista de Medicina da Universidade Federal de São Paulo (EPM-UNIFESP). Bolsista de Iniciação Científica FAPESP (Processo no. 2015/04098-0).
Julia Calixto Gonçalves, Universidade Federal de São Paulo, Escola Paulista de Medicina

Aluna do terceiro ano da graduação de medicina da Escola Paulista de Medicina da Universidade Federal de São Paulo (EPM-UNIFESP). Bolsista de Iniciação Científica do programa Jovens Talentos para Ciência da CAPES.

Gabriel Maisonnave Arisi, Universidade Federal de São Paulo, Escola Paulista de Medicina, Departamento de Fisiologia

Professor Adjunto do Departamento de Fisiologia, Escola Paulista de Medicina, Universidade Federal de São Paulo – UNIFESP.

Gabriel Arisi. Laboratório de Neurobiologia, Prédio Pesquisa II. Rua Pedro de Toledo, 669, 3º andar, L3A. Vila Clementino, São Paulo - SP. Email: arisi@unifesp.br

Publicado
2016-07-21
Como Citar
Zanini, F., Gonçalves, J., & Arisi, G. (2016). Cérebro transparente com a histologia CLARITY. Revista De Medicina, 95(1), 1-5. https://doi.org/10.11606/issn.1679-9836.v95i1p1-5
Seção
Artigos