Projeto Jovem Doutor: o aprendizado prático de estudantes de medicina por meio de atividade socioeducativa

  • Daniela Rodrigues da Silva Universidade de São Paulo, Faculdade de Medicina
  • Livia Rossetti de Abreu e Lima Universidade de São Paulo, Faculdade de Medicina
  • Ligia Mariani Cara Universidade de São Paulo, Faculdade de Medicina
  • Chao Lung Wen Universidade de São Paulo, Faculdade de Medicina
Palavras-chave: Aprendizagem baseada em problemas, Comunicação em saúde, Telemedicina, Projetos, Educação médica, Cursos de capacitação, Aprendizagem, Estudantes de medicina.

Resumo

O trabalho mostra a potencialização no aprendizado de estudantes de medicina (graduandos) através de participação em atividade sócio-educacional (Projeto Jovem Doutor-Saúde nas Escolas - PJD) usando recursos de educação interativa, vídeos, computação gráfica 3D e estruturas produzidas por impressora 3D (Homem Virtual). O PJD usou educação híbrida, reunindo plataforma educacional, ferramentas de mídias sociais, webconferências e objetos educacionais de aprendizagem com dinâmicas presenciais na estruturação de sistemática que proporcionou aprendizado flexível e em serviço, agregando experiências e conhecimentos complementares aos graduandos participantes do projeto. Baseado em conteúdos que seguiam as prioridades do Ministério da Saúde do Brasil, os graduandos puderam conhecer aspectos da Atenção Primária, desenvolver várias atitudes e aprender conhecimentos não previstos na grade curricular médica normal. Por meio de responsabilidades atribuídas a cada um, os graduandos desenvolveram postura ativa para aprender os assuntos de forma contextualizada (pesquisa de temas, debate com professores e profissionais especialistas). Ao final do projeto, 81,9% (8 de 11) graduandos do PJD responderam que tiveram uma formação crítica, reflexiva e maior habilidade em comunicação. Todos (100%), consideraram ter ampliado a capacidade de trabalho em equipe e conhecimentos em novas tecnologias. A interação dos graduandos com professores das escolas onde foram implantados o PJD levou-os a se tornarem “símbolos” para alunos do ensino fundamental II, promoveu a percepção dos futuros médicos sobre o seu papel no contexto social da saúde e estimulou a formação de vínculo social com alunos do ensino fundamental II. O aprendizado em serviço, através de uma ação sócio-educacional, sob orientação de professores e profissionais especialistas, é uma boa forma de estimular o aprendizado dos alunos de medicina e está em conformidade com as diretrizes de 2014 do CNE/MEC para graduação em Medicina.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Daniela Rodrigues da Silva, Universidade de São Paulo, Faculdade de Medicina
Graduanda em Medicina, Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo.
Livia Rossetti de Abreu e Lima, Universidade de São Paulo, Faculdade de Medicina
Graduanda em Medicina, Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo.
Ligia Mariani Cara, Universidade de São Paulo, Faculdade de Medicina
Graduanda em Medicina, Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo
Chao Lung Wen, Universidade de São Paulo, Faculdade de Medicina
Professor Associado da Disciplina de Telemedicina do Departamento de Patologia da Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo.
Publicado
2017-06-09
Como Citar
Silva, D., Abreu e Lima, L., Cara, L., & Wen, C. (2017). Projeto Jovem Doutor: o aprendizado prático de estudantes de medicina por meio de atividade socioeducativa. Revista De Medicina, 96(2), 73-80. https://doi.org/10.11606/issn.1679-9836.v96i2p73-80
Seção
Artigos