Tentativa de suicídio na cidade de Paracatu, Noroeste de Minas Gerais

  • Pedro Paulo Santana Rios Filho Faculdade Atenas
  • Angélica Pereira de Amorim Faculdade Atenas
  • Gabriela Reis Santos Faculdade Atenas
  • Gabriela Souza e Silva Faculdade Atenas
  • Guilherme Miyakawa Dadalti Faculdade Atenas
  • Luana Fernanda de Lima Vargas Faculdade Atenas
  • Helvécio Bueno Faculdade Atenas
  • Talitha Araújo Faria Faculdade Atenas
Palavras-chave: Tentativa de suicídio, Ficha clínica, Brasil/epidemiologia.

Resumo

Organização Mundial da Saúde (OMS) divulgou dados do primeiro Relatório Global para Prevenção do Suicídio, em 2014, revelando que mais de 800 mil pessoas dão fim à própria vida todos os anos no mundo. O levantamento diz ainda que a cada 40 segundos uma pessoa comete suicídio e cerca de 75% dos casos ocorrem em países de baixa e média renda, sendo considerado, então, um problema de saúde pública. Em Minas Gerais, de acordo com o DATASUS, nos anos de 2005 a 2009 a mortalidade por suicídios teve média de 5,28 por 100.000 habitantes. O presente estudo teve como objetivo fazer um levantamento dos dados dos pacientes atendidos no Hospital Municipal de Paracatu-MG que tentaram o autoextermínio levantando as variáveis relacionadas às causas e meios utilizados analisando a transição dos perfis mais incidentes. Trata-se se um estudo retrospectivo com corte transversal baseado na análise de prontuários, tendo uma amostra de 84 fichas de atendimento com relato de tentativas de autocídio registradas em 2012. Os resultados apontaram uma maior numero em mulheres, as substâncias mais utilizadas foram medicamentos e raticidas e a faixa etária predominante foi de 16-25 anos. Para esses pacientes o suicídio é um ato impulsivo, constado que a maioria não o efetivou. Os pacientes reincidentes foram encaminhados para órgãos responsáveis por acompanhamento psicológico. Faz-se necessário o encaminhamento de todos os pacientes que deram entrada no centro de urgência por tentativa de suicídio para a reinserção do indivíduo no meio social e familiar. Conclui-se que há um alto número de registro de tentativas de suicídio em Paracatu havendo a necessidade de aplicação de planos de cuidado para prevenção do autoextermínio e interinstitucionalização com encaminhamentos para melhor acompanhamento psicológico dos pacientes.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Pedro Paulo Santana Rios Filho, Faculdade Atenas
Acadêmico do Curso de Medicina da Faculdade Atenas, Paracatu, MG.
Angélica Pereira de Amorim, Faculdade Atenas

Acadêmica do Curso de Medicina da Faculdade Atenas, Paracatu, MG.

 

Gabriela Reis Santos, Faculdade Atenas
Acadêmica do Curso de Medicina da Faculdade Atenas, Paracatu, MG. 
Gabriela Souza e Silva, Faculdade Atenas
Acadêmica do Curso de Medicina da Faculdade Atenas, Paracatu, MG.
Guilherme Miyakawa Dadalti, Faculdade Atenas
Acadêmica do Curso de Medicina da Faculdade Atenas, Paracatu, MG.
Luana Fernanda de Lima Vargas, Faculdade Atenas
Acadêmica do Curso de Medicina da Faculdade Atenas, Paracatu, MG.
Helvécio Bueno, Faculdade Atenas

Professor do Curso de Medicina da Faculdade Atenas, Paracatu, MG. 

Talitha Araújo Faria, Faculdade Atenas
Professora do Curso de Medicina da Faculdade Atenas, Paracatu, MG.
Publicado
2016-12-06
Como Citar
Rios Filho, P. P., Amorim, A., Santos, G., Silva, G., Dadalti, G., Vargas, L., Bueno, H., & Faria, T. (2016). Tentativa de suicídio na cidade de Paracatu, Noroeste de Minas Gerais. Revista De Medicina, 95(2), 60-65. https://doi.org/10.11606/issn.1679-9836.v95i2p60-65
Seção
Artigos