Portal da USP Portal da USP Portal da USP

Resultados preliminares da correção cirúrgica de estenose cicatricial de vias biliares

Yumi Ricucci Shinkado, Estela Regina Ramos Figueira, Telesforo Bacchella

Resumo


Introdução: A estenose cicatricial de vias biliares permanece uma complicação crítica de colecistectomias, com consequências devastadoras para o fígado e risco de morte. Objetivo: Avaliar os resultados a longo prazo da correção cirúrgica de lesão iatrogênica de vias biliares realizada em um único centro. Metodologia: Pacientes submetidos a correção cirúrgica de lesão iatrogênica de vias biliares entre 1990 e 2016 foram avaliados retrospectivamente. As informações foram coletadas dos prontuários e da base de dados eletrônica HCMED. Os resultados preliminares foram analisados pela comparação de frequências ou médias aritméticas com desvio-padrão dos parâmetros estudados. Resultados: Foram incluídos 158 casos no estudo, 81% mulheres e com idade média de 45,54 anos. Os sintomas mais frequentemente apresentados foram icterícia (em 79,11% dos casos), dor abdominal (59,49%), colúria (52,53%), acolia ou hipocolia fecal (47,47%), febre (44,3%), prurido (34,18%) e perda de peso (27,22%). A estenose de vias biliares foi secundária a colecistectomia convencional em 63,92% dos casos, a colecistectomia laparoscópica em 22,15%, e a colecistectomia não-especificada em 13,92%. Os pacientes foram divididos de acordo com o diagnóstico de estenose de via biliar (EVB), n=93 casos (58,86%), ou estenose de anastomose bilio-digestiva (EABD), n=65 casos (41,14%). No grupo EVB, níveis de bilirrubina, ALT, AST e GGT eram significativamente mais altos no pré-operatório que no pós-operatório. No grupo EABD, níveis de bilirrubina, AST e GGT eram significativamente mais altos no pré-operatório que no pós-operatório, entretanto não houve diferenças nos níveis de ALT. Recidiva da estenose ocorreu em 5 casos do grupo EVB, e em 7 casos do grupo EABD. A sobrevida no grupo EVB foi de 98,92% em 1 ano e 97,85% em 5 anos; e no grupo EVB, 98,64% e 95,38%, respectivamente. Conclusões: A correção cirúrgica de lesões complexas de vias biliares tem uma taxa de sucesso de 89,87% quando realizada em serviços de referência.


Palavras-chave


Doenças biliares/cirurgia; Síndrome pós-colecistectomia/cirurgia.

Texto completo:

PDF (English)


DOI: http://dx.doi.org/10.11606/issn.1679-9836.v97i2p116-119

Métricas do Artigo

Carregando métricas...

Metrics powered by PLOS ALM

Apontamentos

  • Não há apontamentos.