Urticária pigmentosa no adulto: tratamento bem-sucedido em associação com fototerapia

Autores

DOI:

https://doi.org/10.11606/issn.1679-9836.v99i4p400-404

Palavras-chave:

Urticária pigmentosa, Mastocitose sistêmica, Mastocitose cutânea

Resumo

Introdução: A urticária pigmentosa em adultos é uma forma de mastocitose rara e persistente, frequentemente com manifestações sistêmicas e acometimento da medula óssea, e manifestações cutâneas menos evidentes, ao contrário do que ocorre na infância. Objetivo: Relatar um caso de início na fase adulta, com lesões cutâneas leves, que evoluiu com sintomas de liberação histamínica, porém sem acometimento sistêmico. Metodologia: As informações foram obtidas através de revisão do prontuário, entrevista com o doente, registro fotográfico e revisão da literatura. Conclusão: O diagnóstico correto e a investigação precoce do acometimento de outros órgãos são importantes, bem como o tratamento adequado e prevenção de reações anafilactoides. A fototerapia é opção interessante de tratamento nos casos refratários.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Rafael Capelo Costa

Dermatologista pela SBD, residência em dermatologia pelo Hospital Regional de Presidente Prudente/Universidade do Oeste Paulista.

Juliana D'Andrea Molina, Hospital Regional de Presidente Prudente/Universidade do Oeste Paulista

Residente de dermatologia do Hospital Regional de Presidente Prudente/Universidade do Oeste Paulista, 3o ano.

Marilda Aparecida Milanez Morgado de Abreu, Hospital Regional de Presidente Prudente/Universidade do Oeste Paulista

Especialista em dermatologia pela SBD, mestrado e doutorado em ciências. Chefe do serviço de dermatologia do Hospital Regional de Presidente Prudente/Universidade do Oeste Paulista

Referências

Barete S. Les mastocytoses. Ann Dermatol Venereal. 2014;141:698-714. doi: https://doi.org/10.1016/j.annder.2014.08.002.

Barros JA, Maluf LC, Machado Filho CD. Mastocitose. An Bras Dermatol. 2009;84(3):213-25. doi: https://doi.org/10.1590/S0365-05962009000300002.

Brockow K. Epidemiology, prognosis, and risk factors in mastocytosis. Immunol Allergy Clin North Am. 2014;34(2):283-95. doi: https://doi.org/10.1016/j.iac.2014.01.003.

Valent P, Akin C, Escribano L, Födinger M, Hartmann K, Brockow K et al. Standards and standardization in mastocytosis: consensus statements on diagnostics, treatment recommendations and response criteria. Eur J Clin Invest. 2007;37:435-53. doi: https://doi.org/10.1111/j.1365-2362.2007.01807.x.

Czarny J, Lange M, Lugowska-Umer H, Nowicki RJ. Cutaneous mastocytosis treatment: strategies, limitations and perspectives. Adv Dermatol Alergol. 2018;35(6):541-5. doi: https://doi.org/10.5114/ada.2018.77605.

Schneider LA, Hinrichs R, Scharffetter-Kochanek K. Phothotherapy and photochemotherapy. Clin Dermatol. 2008;26:464-76. doi: https://doi.org/10.1016/j.clindermatol.2007.11.004.

Brazzelli V, Grassi S, Merante S, Grasso V, Ciccocioppo R, Bossi G, et al. Narrow-band UVB phototherapy and psoralen–ultraviolet A photochemotherapy in the treatment of cutaneous mastocytosis: a study in 20 patients. Photodermatol Photoimmunol Photomed. 2016;32:238-46. doi: https://doi.org/10.1111/phpp.12248.

Publicado

2020-08-28

Como Citar

Costa, R. C., Molina, J. D., & Morgado de Abreu, M. A. M. (2020). Urticária pigmentosa no adulto: tratamento bem-sucedido em associação com fototerapia. Revista De Medicina, 99(4), 400-404. https://doi.org/10.11606/issn.1679-9836.v99i4p400-404

Edição

Seção

Relato de Caso/Case Report