Parto pré-termo

Palavras-chave: Trabalho de parto prematuro/prevenção & controle, Previsões, Trabalho de parto, Parto.

Resumo

Mais de 70% da morbidade e mortalidade neonatal e infantil é secundária à prematuridade. O parto pré-termo espontâneo é uma síndrome na qual o processo da parturição pode ser iniciado por um ou mais caminhos que levam às alterações do colo uterino, ativação decidual, contrações uterinas e rotura das membranas ovulares. Os principais fatores de risco para o parto pré-termo são a história prévia de parto pré-termo e a gestação gemelar, mas a maioria das mulheres que têm filhos prematuros não apresentam fatores de riscos aparentes. Toda gravidez potencialmente possui risco. A suplementação com progesterona reduz o risco de parto pré-termo em aproximadamente 40%, em mulheres com feto único e que tiveram um parto pré-termo com feto único e em mulheres com colo curto detectado pela ultrassonografia transvaginal na gravidez atual. Outras intervenções obstétricas que reduzem a morbidade neonatal tais como, a corticoterapia antenatal, a tocólise e a antibioticoterapia profilática para o estreptococo do grupo B, são terapêuticas terciárias eficazes mas não reduzem a incidência de parto pré-termo.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Roberto Eduardo Bittar, Departamento de Obstetrícia e Ginecologia, Faculdade de Medicina FMUSP, Universidade de São Paulo
Prof. Associado do Departamento de Obstetrícia e Ginecologia da FMUSP
Publicado
2018-06-15
Como Citar
Bittar, R. E. (2018). Parto pré-termo. Revista De Medicina, 97(2), 195-207. https://doi.org/10.11606/issn.1679-9836.v97i2p195-207
Seção
Artigos/Articles