Insuficiência cardíaca grave de etiologia amiloidótica

Palavras-chave: Insuficiência cardíaca/etiologia, Amiloidose/etiologia, Idoso.

Resumo

A amiloidose é uma doença sistêmica causada pela deposição extracelular de fibrilas insolúveis de proteínas de baixo peso molecular em diversos tecidos. Pode ser classificada nas formas: primária, secundária, hereditária e sistêmica senil. Relatamos o caso de um paciente masculino, 75 anos, que deu entrada em emergência cardiológica com quadro progressivo de edema em membros inferiores iniciado há quatro meses. Trinta dias antes do internamento passou a apresentar dispneia de médios para pequenos esforços, evoluindo para dispneia ao repouso e em decúbito (insuficiência cardíaca – classe funcional IV). Ao exame físico apresentou-se em estado geral regular, consciente, taquidispneico, afebril, hidratado, hipocorado (1+/4+), ictérico (2+/4+), acianótico e presença de estase jugular a 45°. O ritmo cardíaco era regular em dois tempos e bulhas, normofonéticas, com sopro sistólico em foco mitral (2+/6+) desdobramento fixo da segunda bulha; pressão arterial de 80x40 mmHg e frequência cardíaca de 84 bpm. O eletrocardiograma de admissão mostrou ritmo sinusal regular, bloqueio atrioventricular de 1º grau, baixa voltagem em derivações de plano frontal, zona eletricamente inativa em região ântero-septal e distúrbio de condução pelo ramo esquerdo do feixe de His. Radiografia de tórax com área cardíaca aumentada, padrão de congestão pulmonar e derrame pleural bilateral, mais acentuado à esquerda. Também foi realizado ecocardiograma transtorácico que evidenciou câmaras cardíacas aumentadas à direita, função sistólica de ventrículo direito levemente deprimida, insuficiência tricúspide moderada a importante, hipertensão pulmonar moderada, hipertrofia de ventrículo esquerdo, disfunção de ventrículo esquerdo e achado de ecogenicidade granular brilhante. Ultrassonografia de abdome mostrou fígado e baço com textura heterogênea, sugestivo de doença granulomatosa. Posteriormente foi realizada biópsia hepática que confirmou a hipótese de doença infiltrativa determinada pela amiloidose cardiovascular. Paciente evoluiu com rebaixamento de nível de consciência e insuficiência renal aguda, sendo realizada hemodiálise e transferência para Unidade Coronariana, onde apresentou parada cardiorrespiratória e evolução para óbito. 

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Gustavo Belarmino Góes, Universidade de Pernambuco (UPE), Faculdade de Ciências Médicas, Recife, PE
Acadêmico de Medicina - Universidade de Pernambuco
Mirella Mota Vianna, Universidade de Pernambuco (UPE), Faculdade de Ciências Médicas, Recife, PE
Acadêmico de Medicina - Universidade de Pernambuco
Diana Lamprea Sepulveda, Pronto-Socorro Cardiológico de Pernambuco (PROCAPE/ UPE), Recife, PR
Chefia Médica da Enfermaria de Doenças Valvares, Preceptora e Vice-Coordenadora da Residência de Cardiologia do Pronto-Socorro Cardiológico de Pernambuco (PROCAPE/ UPE).
Dário Celestino Sobral Filho, Universidade de Pernambuco (UPE), Recife, PE
Professor Associado e Livre-Docente de Cardiologia da Universidade de Pernambuco (UPE); Coordenador Médico do Hospital Universitário PROCAPE – UPE. Felow do American College of Cardiology e da European Society of Cardiology
Publicado
2018-07-18
Como Citar
Góes, G., Vianna, M., Sepulveda, D., & Sobral Filho, D. (2018). Insuficiência cardíaca grave de etiologia amiloidótica. Revista De Medicina, 97(3), 368-371. https://doi.org/10.11606/issn.1679-9836.v97i3p368-371
Seção
Relato de Caso/Case Report