A relação médico-doente

Breve revisão da antiguidade à atualidade

Palavras-chave: Relações médico-paciente, Revelação da verdade, Direitos do paciente

Resumo

Introdução. Podemos referir que a comunicação pode e deve ser vista como um dos principais ingredientes dos cuidados médicos. Neste trabalho de revisão é avaliado o estabelecimento da relação entre o médico e o doente, relação esta que permite que duas pessoas, anteriormente desconhecidas entre si, estabeleçam uma ligação que permita um grau de intimidade suficiente que possibilite o conhecimento do doente como um todo, bem como permita a participação deste no estabelecimento das metas e objetivos para o atingimento do seu estado de saúde. Materiais e Métodos. Usados para a realização deste sucinto artigo de revisão, foi realizada uma pesquisa bibliográfica na PUBMED, tendo sido usadas as palavras-chave definidas como base no MeSH. As Bases da relação médico-doente assentam em 4 pilares: a confiança, o conhecimento, o respeito e a lealdade, tendo estes elementos um forte impacto nesta relação e na sua natureza, chegando mesmo a ter impacto nos resultados do tratamento no doente. Os Modelos de relação médico-doente consistem em três modelos-base: a) o modelo de atividade-passividade; b) o de orientação-cooperação; e, c) o de participação mútua, envolvendo diferentes níveis de participação do doente na tomada de decisão e na participação na escolha dos tratamentos. Os modelos de prática médica: da antiguidade aos dias de hoje passaram por uma transição ao longo dos anos. Nos primórdios, era predominantemente centrada em um modelo de atividade-passividade até ao modelo vigente nos dias de hoje, o modelo de participação mútua. Observações finais. Podemos verificar que os componentes da comunicação identificados como sendo mais eficazes, podem ser usados como base para o desenvolvimento de currículos de educação médica bem como para programas de educação de doentes.

Downloads

Não há dados estatísticos.
Publicado
2019-07-22
Como Citar
Dario, P. (2019). A relação médico-doente. Revista De Medicina, 98(3), 216-221. https://doi.org/10.11606/issn.1679-9836.v98i3p216-221
Seção
Artigos de Revisão/Review Articles