Avaliação da automedicação entre estudantes de medicina de uma instituição de ensino de Alagoas

Autores

DOI:

https://doi.org/10.11606/issn.1679-9836.v98i6p367-373

Palavras-chave:

Automedicação, Estudantes de medicina, Estimulantes, Efeitos colaterais e reações adversas relacionados a medicamentos, Psicotrópicos, Brasil

Resumo

O uso medicamentoso de substâncias químicas na sociedade moderna tem crescido gradativamente. Nesse contexto, a prática de automedicação por profissionais e acadêmicos da área de saúde tem sido cada vez mais frequente, levando a uma preocupação quando se avalia o consumo abusivo de psicofármacos. A partir dessa problemática, relevante à saúde pública, se faz importante desenvolver meios e métodos que possam orientar com cautela sobre os riscos do uso indiscriminado de medicamentos. Objetivo: Avaliar a prática de automedicação e as particularidades atribuídas a ela entre estudantes de medicina de uma instituição de ensino superior. Metodologia: trata-se de um estudo descritivo do tipo transversal com abordagem quantitativa realizado no Centro Universitário CESMAC através de questionários aplicados aos acadêmicos de medicina. Das 9 turmas disponíveis para realização da pesquisa, todas tiveram os dados coletados e seus resultados interpretados a partir de bancos de dados criados utilizando o programa Microsoft Office Excel. Resultados e Discussões: 280 voluntários relataram fazer uso de automedicação, sendo essa representada em sua maior parte pelos anti-inflamatórios e apenas 4 pessoas alegaram se utilizar o metilfenidato por conta própria antes das provas. Conclusão: É evidente que o hábito de automedicação de maneira inadequada acarreta em consequências indesejáveis e no mascaramento de doenças evolutivas, o que se configura, portanto, em uma atividade a ser prevenida, assim como a utilização racional de medicamentos e a recomendação de profissional especializado devem ser enfatizadas.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Camila Suica do Nascimento, Centro Universitário CESMAC

Acadêmica de medicina do Centro Universitário CESMAC, Maceió, AL.

Karla Morgana Mota de Araújo, Centro Universitário CESMAC

Acadêmica de medicina do Centro Universitário CESMAC, Maceió, AL.

Daniela Britto Marinho de Gusmão, Centro Universitário CESMAC

Acadêmica de medicina do Centro Universitário CESMAC, Maceió, AL.

Paula Moura Souza, Centro Universitário CESMAC

Acadêmica de medicina do Centro Universitário CESMAC, Maceió, AL.

José Alfredo dos Santos Júnior, Centro Universitário CESMAC

Professor titular do curso de Biologia do Centro Universitário CESMAC, Maceió, AL.

Referências

1. Damasceno DD, Terra FS, Zanetti HHV, D’Andréa EV, Silva HLR, Leite JA. Automedicação entre graduandos de enfermagem, farmácia e odontologia da Universidade Federal de Alfenas. REME Rev Min Enf. 2007;11(1):48-52. Disponível em: https://www.academia.edu/30257949/Automedica%C3%A7%C3%A3o_entre_graduandos_de_enfermagem_farm%C3%A1cia_e_odontologia_da_Universidade_Federal_de_Alfenas.
2. Aquino DS, Barros JAC, Silva MDP. A automedicação e os acadêmicos da área de saúde. Rev Ciên Saúde Coletiva. 2010;15(5):2533-8. https://doi.org/10.1590/s1413-81232010000500027.
3. Fonseca FIRM, Dedivitis RA, Smokou A, Lascane E, Cavalheiro RA, Ribeiro EF, et al. Frequência de automedicação entre acadêmicos de faculdade de medicina. Diagn Tratamento. 2010;15(2):53-7. Disponível em: http://files.bvs.br/upload/S/1413-9979/2010/v15n2/a53-57.pdf.
4. United Nations Office on Drugs and Crime - UNODC. Amphetamines and ecstasy: 2011 Global ATS Assessment. Austria; 2011 [cited 2017 May 31]. Available from: https://www.unodc.org/documents/scientific/ATS_Global_Assessment_2011.pdf.
5. Katzung BG, Trevor AJ. Farmacologia básica e clínica. 12a ed. Porto Alegre: Artmed; 2014.
6. Golan DE, Tashjian AH, Armstrong EJ, Armstrong AW. Princípios de farmacologia. 3a ed. Rio de Janeiro: Guanabara Koogan; 2009.
7. Tsuda CA, Christoff AO. Avaliação do padrão de uso de estimulantes em uma faculdade de Curitiba-PR. Cad Escola Saúde. 2015;1(13):116-32. https://doi.org/10.11606/d.22.2005.tde-16122005-112919.
8. Portal R7. Estudantes ficam à beira da morte por overdose de cafeína. Reino Unido. 2017 jan [citado 31 maio 2017]. Disponível em: http://noticias.r7.com/saude/estudantes-ficam-a-beira-da-morte-por-overdose-de-cafeina-26012017.
9. Cruz TCSC, Barreto Junior EPS, Gama MLM, Maia LCM, Melo Filho MJX, Manganotti Neto O, et al. Uso não-prescrito de metilfenidato entre estudantes de Medicina da Universidade Federal da Bahia. Gazeta Méd Bahia. 2011;81(1):3-6. https://doi.org/10.5327/z2176-947820180352.
10. Moreau RLM, Siqueira MEPB. Ciências farmacêuticas: toxicologia analítica. Rio de Janeiro: Guanabara Koogan; 2014.
11. Vieira S. Bioestatística. Rio de Janeiro: Campus; 2003.
12. Brasil. Instrução Normativa n. 11, de 29 de setembro de 2016. Dispõe sobre a lista de medicamentos isentos de prescrição. 2016 set 1: 99.
13. Chehuen Neto JA, Sirimarco MT, Choi CMK, Barreto AU, Souza JB. Automedicação entre Estudantes da Faculdade de Medicina da Universidade Federal de Juiz de Fora. Rev HU. 2006;32(3):59-64. https://doi.org/10.5327/z2447-211520171600074
14. Silva RCG, Oliveira TM, Casimiro TS, Vieira KAM, Tardivo MT, Junior MF, et al. Automedicação em acadêmicos do curso de medicina. Medicina. 2012;45(1):5-11. https://doi.org/10.11606/issn.2176-7262.v45i1p5-11.
15. Pilger, M.C, Dombrowski, G, Rebelo, M, Tomasi, E. Automedicação entre acadêmicos de Medicina das Universidades Católica e Federal de Pelotas/RS. Rev AMRIGS. 2016;60(1):26-31.
16. Albusalih FA, Naqvi AA, Ahmad R, Ahmad N. Prevalence of Self-Medication among Students of Pharmacy and Medicine Colleges of a Public Sector University in Dammam City, Saudi Arabia. Pharmacy. 2017;5(4):51-63. https://doi.org/10.3390/pharmacy5030051
17. Conselho Federal de Medicina. Código de ética médica: resolução CFM n.1931/09. Brasília: CFM; 2010.
18. Fallah G, Moudi S, Hamidia A, Bijani A. Stimulant use in medical students and residents requires more careful attention. Caspian J Intern Med. 2018;9(1):87-91.
19. Ritalina® e Ritalina LA® [Bula]. São Paulo: Novartis Biociências SA; 2014.
20. Masson W, Furtado PL, Lazarini CA, Conterno LO. Automedicação entre acadêmicos do curso de Medicina da Faculdade de Medicina de Marília. Rev Bras Pesqui Saúde. 2012;14(4):82-9. https://doi.org/10.21722/rbps.v14i4.5123.

Downloads

Publicado

2019-11-27

Como Citar

Nascimento, C. S. do, Araújo, K. M. M. de, Gusmão, D. B. M. de, Souza, P. M., & Santos Júnior, J. A. dos. (2019). Avaliação da automedicação entre estudantes de medicina de uma instituição de ensino de Alagoas. Revista De Medicina, 98(6), 367-373. https://doi.org/10.11606/issn.1679-9836.v98i6p367-373

Edição

Seção

Artigos/Articles