Desgastes e fortalecimentos de graduandos de enfermagem expressos em mídia social

uma análise potencializadora de ações de enfrentamento

Palavras-chave: Alunos de enfermagem, Estudantes universitários, Sofrimento emocional, Promoção da saúde, Estudantes de enfermagem, Midias sociais, Saúde mental, Utilização, Psicologia

Resumo

Sofrimento emocional de estudantes universitários tem sido tema de pesquisas e de preocupação de instituições de ensino. Jovens universitários tem manifestado resultados físicos e psíquicos desses desgastes; no entanto, os cursos universitários não preveem espaços que acolham os estudantes, nem ações para enfrentamento dos potenciais desgastes. Ações que se proponham efetivas devem partir da análise das raízes do problema; ou seja, da identificação dos potenciais de desgaste/fortalecimento apresentados pelos jovens universitários. Os estudantes que ingressam no curso de graduação em enfermagem da Universidade de São Paulo encontram-se na etapa da juventude, que é vivenciada de maneira heterogênea, a depender das distintas condições concretas de vida. Como consequência, são distintas e heterogêneas as formas e possibilidades de enfrentamento dos potenciais de desgaste/fortalecimento. Objetivo: Identificar e analisar os potenciais de desgaste/fortalecimento expressos pelos estudantes de graduação em enfermagem da EEUSP. Metodologia: Estudo descritivo-exploratório realizado com posts de graduandos da EEUSP na mídia social Facebook, importante recurso para comunicação e expressão dos estudantes. Resultados: Os potenciais desgastes foram majoritariamente associados a situações da vida acadêmica, particularmente a atividades curriculares. Localizou-se potenciais de desgastes relacionados à carga horária curricular e ao volume de atividades acadêmicas do curso. Já os potenciais fortalecimentos expressos foram associados majoritariamente aos relacionamentos e a atividades extra curriculares. Os resultados da pesquisa foram encaminhados à Comissão de Graduação e à CoC Bacharelado e apresentados aos graduandos. Como desdobramento da pesquisa, foram realizadas oficinas com participação voluntária de graduandos. Considerações finais: A partir dos resultados do presente estudo é possível afirmar que as instituições formadoras devem tomar para si a responsabilidade de reconhecer potenciais de fortalecimento/desgaste dos estudantes e de promover espaços para enfrentamento dos potenciais de desgastes e o aprimoramento dos potenciais de fortalecimentos.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Célia Maria Sivalli Campos, Escola de Enfermagem, Universidade de São Paulo

Professora Dra do Departamento de Enfermagem em Saúde Coletiva da Escola de Enfermagem da USP

Jenypher Pereira de Sá Oliveira, Escola de Enfermagem, Universidade de São Paulo

Enfermeira graduada na Escola de Enfermagem da USP. 

Sarah Grigório Silva, Escola de Enfermagem, Universidade de São Paulo

Enfermeira graduada na Escola de Enfermagem da USP.  

Eloá Otrenti, Departamento de Enfermagem em Saúde Coletiva, Escola de Enfermagem, Universidade de São Paulo

Especialista em Laboratório de Ensino do Departamento de Enfermagem em Saúde Coletiva da Escola de Enfermagem da Universidade de São Paulo.  

Vânia Ferreira Gomes Dias, Departamento de Enfermagem em Saúde Coletiva, Escola de Enfermagem, Universidade de São Paualo

Especialista em Laboratório de Ensino do Departamento de Enfermagem em Saúde Coletiva da Escola de Enfermagem da USP. 

Publicado
2019-04-29
Como Citar
Sivalli Campos, C., Oliveira, J., Silva, S., Otrenti, E., & Dias, V. (2019). Desgastes e fortalecimentos de graduandos de enfermagem expressos em mídia social. Revista De Medicina, 98(2), 114-119. https://doi.org/10.11606/issn.1679-9836.v98i2p114-119