Benzodiazepínicos

revendo o uso para o desuso

Palavras-chave: Benzodiazepines, Depressão, Tratamento farmacológico, Ansiedade

Resumo

Introdução: Os benzodiazepínicos (BZDs) são drogas psicotrópicas do subgrupo dos ansiolíticos. Nos últimos anos muitos pacientes se tornaram adictos e por isso é essencial conhecer suas indicações e seus riscos. Objetivo: Revisão da literatura sobre os BZDs, seu mecanismo de ação, indicações, efeitos colaterais, além dos perfis dos usuários e a necessidade de rever a importância da desprescrição deste fármaco. Método: As seguintes bases de dados científicas eletrônicas foram consultadas para a revisão da literatura: NCBI/PubMed (National Center for Biotechnology Information) e SciELO (Scientific Eletronic Library Online). Foram pesquisados artigos de 2014 a 2018. Resultados: Estudos incluídos nesta pesquisa apontam a necessidade de um controle mais rigoroso quanto às indicações e uso correto desses agentes psicofarmacológicos. Assim sendo, é relevante a capacitação dos profissionais prescritores com o intuito de dirimir a frequência do seu uso crônico e indiscriminado. Além disso, esse estudo chama a atenção para programas de saúde com o objetivo de orientar/educar a população sobre a influência dos BZDs na qualidade de vida, minimizando os agravos do seu uso inadequado. Conclusão: BZDs são utilizados em todo mundo e habitualmente de maneira inadequada, isso impacta na morbimortalidade e contribui com o aumento dos gastos de recursos públicos da área da saúde.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Jamille Sara Silva Faria, Universidade Vila Velha

Graduanda de Medicina da Universidade Vila Velha

Stephani Vogt Rossi, Universidade Vila Velha

Graduanda de Medicina da Universidade Vila Velha.

Thayná Andreatta, Universidade Vila Velha

Graduanda de Medicina da Universidade Vila Velha.

Vanessa Paganini Simões, Universidade Vila Velha

Graduanda de Medicina da Universidade Vila Velha.

Bruno Hosken Pombo, Universidade de Vila Velha

Mestre em Ciências Farmacêuticas, Professor Adjunto do Curso de Medicina da Universidade Vila Velha

Roberta Bitencourt Moreira, Universidade Vila Velha

Mestre em Biotecnologia, Professora Adjunta do Curso de Medicina da Universidade Vila Velha

Referências

1. Sgnaolin V, Engroff P, Andrade C, Loureiro F, Nogueira E, Cataldo Neto A, et al. Patterns of chronic benzodiazepine use in the elderly. Arch Clin Psychiatry (São Paulo). 2016;43(4):79-82. http://dx.doi.org/10.1590/0101-60830000000089
2. McIntosh B, Clark M, Spry C. Benzodiazepines in older adults: a review of clinical effectiveness, cost- effectiveness, and guidelines. Ottawa (CA): Canadian Agency for Drugs and Technologies in Health; 2011. Available from: https://www.ncbi.nlm.nih.gov/books/NBK174561/.
3. Naloto D, Lopes F, Barberato Filho S, Lopes L, Del Fiol F, Bergamaschi C. Prescrição de benzodiazepínicos para adultos e idosos de um ambulatório de saúde mental. Ciên Saúde Coletiva. 2016;21(4):1267-76. http://dx.doi.org/10.1590/1413-81232015214.10292015.
4. Azevedo Â, Araújo A, Ferreira M. Consumo de ansiolíticos benzodiazepínicos: uma correlação entre dados do SNGPC e indicadores sociodemográficos nas capitais brasileiras. Ciên Saúde Coletiva. 2016;21(1):83-90. http://dx.doi.org/10.1590/1413-81232015211.15532014.
5. Kolar D. Addictive potential of novel treatments for refractory depression and anxiety. Neuropsychiatr Dis Treat. 2018;14:1513-9. https://doi.org/10.2147/NDT.S167538.
6. Tanguay Bernard M, Luc M, Carrier J, Fournier L, Duhoux A, Côté E, et al. Patterns of benzodiazepines use in primary care adults with anxiety disorders. Heliyon. 2018;4(7):e00688. https://doi.org/10.1016/j.heliyon.2018.e00688.
7. Jacob L, Rapp M, Kostev K. Long-term use of benzodiazepines in older patients in Germany: a retrospective analysis. Ther Adv Psychopharmacol. 2017;7(6-7):191-200. https://doi.org/10.1177/2045125317696454
8. Leggett A, Kavanagh J, Zivin K, Chiang C, Kim H, Kales H. The association between benzodiazepine use and depression outcomes in older veterans. J Geriatr Psychiatr Neurol. 2015;28(4):281-7. https://doi.org/10.1177/0891988715598227.
9. Kroll D, Nieva H, Barsky A, Linder J. Benzodiazepines are prescribed more frequently to patients already at risk for benzodiazepine-related adverse events in primary care. J Gen Intern Med. 2016;31(9):1027-34. https://doi.org/10.1007/s11606-016-3740-0
10. Gonçalves A, Ferreira M, Florentim R, Sousa A, Reis M, Cabral L. Consumo de benzodiazepinas no idoso deprimido. Rev Portuguesa Enfermagem Saúde Mental. 2017;(spe5). https://dx.doi.org/10.19131/rpesm.0176
11. Garg B, Gupta S. A case of etizolam dependence. Indian J Pharmacol. 2014;46(6):655. https://dx.doi.org/10.4103/0253-7613.144943.
12. Chen T, Ko C, Chen S, Yen C, Su P, Hwang T et al. Severity of alprazolam dependence and associated features among long-term alprazolam users from psychiatric outpatient clinics in Taiwan. J Formosan Med Assoc. 2015;114(11):1097-104. https://doi.org/10.1016/j.jfma.2014.04.004.
13. Vicens C, Sempere E, Bejarano F, Socias I, Mateu C, Fiol F, et al. Efficacy of two interventions on the discontinuation of benzodiazepines in long-term users: 36-month follow-up of a cluster randomised trial in primary care. Bri J Gen Pract. 2016;66(643):e85-e91. https://doi.org/10.3399/bjgp16X683485.
Publicado
2019-11-27
Como Citar
Faria, J., Rossi, S., Andreatta, T., Simões, V., Pombo, B., & Moreira, R. (2019). Benzodiazepínicos. Revista De Medicina, 98(6), 423-426. https://doi.org/10.11606/issn.1679-9836.v98i6p423-426
Seção
Artigos de Revisão/Review Articles