Demência secundária à lesão cerebral traumática em região frontotemporal: um relato de caso

Autores

DOI:

https://doi.org/10.11606/issn.1679-9836.v99i4p394-399

Palavras-chave:

Demência, Diagnóstico, Transtornos neurocognitivos

Resumo

Introdução: A demência caracteriza-se pela deficiência cognitiva persistente que influencia negativamente as atividades diárias do paciente, podendo ser classificada em primária ou secundária a depender da etiologia. Diante dos conflitos diagnósticos na clínica médica atual e devido aos vários subtipos demenciais existentes, descrevemos um estudo de caso sobre uma Síndrome Demencial de etiologia incerta de um paciente em faixa etária pré-senil. Métodos: Foram realizadas três consultas ambulatoriais no período de quatro meses, com a realização do Mini Exame do Estado Mental (MEEM) e da Avaliação Cognitiva Montreal (MOCA), além de exames laboratoriais e de imagem para a elucidação do caso. Relato de Caso: Homem de 47 anos, com antecedentes pessoais de etilismo crônico por 35 anos, de tabagismo, de hipertensão arterial sistêmica e de traumatismo crânio encefálico (TCE) em região frontotemporal em 2006, desenvolveu transtornos neurocognitivos. Discussão: Na avaliação dessa síndrome demencial, procedemos com investigação clínica e complementar, em busca do diagnóstico e tratamento, na qual a história pregressa do paciente levou às hipóteses diagnósticas. Considerações finais: De acordo com os resultados dos exames, observou prejuízo da função cognitiva e redução volumétrica de massa encefálica após o TCE, obtendo melhora significativa após uso de Trazodona por doze meses.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Nathália Cardoso Vieira, Faculdade Morgana Potrich - FAMP

Acadêmica do curso de Medicina da Faculdade Morgana Potrich - FAMP, Mineiros, Goiás. 

Míriam Bolsoni de Carvalho Macedo, Faculdade Morgana Potrich - FAMP

Acadêmica do curso de Medicina da Faculdade Morgana Potrich - FAMP, Mineiros, Goiás. 

Joaci Correia Mota Júnior, Faculdade Morgana Potrich - FAMP

Acadêmica do curso de Medicina da Faculdade Morgana Potrich - FAMP, Mineiros, Goiás. 

Letícia Carvalho Tiraboschi, Faculdade Morgana Potrich - FAMP

Graduada em Medicina pela Universidade Federal de Uberlândia, MG. Especialista em Psiquiatria pela Universidade de São Paulo de Ribeirão Preto, SP. Docente da Faculdade Morgana Potrich - FAMP, Mineiros, Goiás. 

Tatiane Gomes da Silva Oliveira, Faculdade Morgana Potrich - FAMP

Graduada em Licenciatura Plena em Letras pela Universidade Estadual do Mato Grosso -UNEMAT, Especialista em Educação Inclusiva e LIBRAS pelo Instituto Federal de Mato Grosso - IFMT e Mestre em Linguística pela Universidade Estadual do Mato Grosso -UNEMAT. Docente da Faculdade Morgana Potrich - FAMP, Mineiros, Goiás. 

Referências

Nitrini R, Caramelli P. Demências. In: Nitrini R, Bacheschi LA. A neurologia que todo médico deve saber. 2a ed. São Paulo: Atheneu; 2003. pt. 2, cap.15, p.323-34.

Forlenza OV, Aprahamian I, Perroco TB, Bottino CMC. Demências. In: Miguel EC, Gentil V, Gattaz WF, Bottino CMC, Tavares H, Forlenza OV, et al. Clínica psiquiátrica: a visão do Departamento e Instituto de Psiquiatria do HCFMUSP. Barueri, SP: Manole; 2011. Seção 5, cap.48, p. 582- 602.

Jeste DV, Lieberman JA, Fassler D, Peele R, Benson S, Young ML, et al. Manual diagnóstico e estatístico de transtornos mentais. 5a ed. Porto Alegre: Artmed; 2014. p.602-4; 624-7.

Caramelli P, Barbosa MT. Como diagnosticar as quatro causas mais frequentes de demência? Rev Bras Psiquiatr. 2002;24:7-10. doi: http://dx.doi.org/10.1590/S1516-44462002000500003.

Biblioteca Virtual em Saúde. Atenção Primária em Saúde. Mini Exame do Estado Mental (MEEM). Disponível em: https://aps.bvs.br/apps/calculadoras/?page=11.

Universidade Federal de Santa Catarina. Montreal Cognitive Assessment (MOCA). Versão Experimental Brasileira. Disponível em: https://neurologiahu.ufsc.br/files/2012/09/MoCA-Test-Portuguese_Brazil.pdf.

Vaconcellos AF, Silva DA, Machado DA, Franco TR, Moraes EM. Demência reversível: relato de caso. Braz Geriatr Gerontol. 2008;2(3):132-6. Disponível em: http://www.ggaging.com/how-to-cite/333/pt-BR.

Mendez MF. What is the relationship of traumatic brain injury to dementia? J Alzheimer’s Dis. 2017;57(3):67-681. doi: https://doi.org/10.3233/JAD-161002.

Paiva GP, Maldonado FHR, Spaziani AO. Demência frontotemporal em paciente feminina de 56 anos: relato de caso. Arch Health Invest. 2019;8(3):125-9. doi: http://dx.doi.org/10.21270/archi.v8i3.3243.

Lebert F, Stekke W, Hasenbroekx C, Pasquier F. Frontotemporal dementia: a randomised, controlled trial with trazodone. Dement Geriatr Cogn Disord. 2004;17:355-9. doi: https://doi.org/10.1159/000077171.

Haes TM, Clé DV, Nunes TF, Roriz-Filho JS, Moriguti JC. Álcool e sistema nervoso central. Medicina (Riberão Preto). 2010;43(2):153-63. Disponível em: http://revista.fmrp.usp.br/2010/vol43n2/Simp7_%C1lcool%20e%20sistema%20nervoso%20central.pdf.

Lebert F. Behavioral benefits of trazodone are sustained for the long term in frontotemporal dementia. Therapy. 2006;39(1):93-6. doi: https://doi.org/10.1586/14750708.3.1.93.

Publicado

2020-08-28

Como Citar

Vieira, N. C., Macedo, M. B. de C., Mota Júnior, J. C., Tiraboschi, L. C., & Oliveira, T. G. da S. (2020). Demência secundária à lesão cerebral traumática em região frontotemporal: um relato de caso. Revista De Medicina, 99(4), 394-399. https://doi.org/10.11606/issn.1679-9836.v99i4p394-399

Edição

Seção

Relato de Caso/Case Report