Transplante cardíaco na displasia arritmogênica do ventrículo direito

  • Clarissa Nóbrega Gambarra Nascimento Universidade de São Paulo, Faculdade de Medicina
  • Lucas Burim Vilas Boas Universidade de São Paulo, Faculdade de Medicina
  • Carlo Felício Campagnoli Napolitano Universidade de São Paulo, Faculdade de Medicina
  • Guilherme Henrique Bianchi Coelho Universidade de São Paulo, Faculdade de Medicina, Hospital das Clínicas, Instituto do Coração
  • Ronaldo Honorato Universidade de São Paulo, Faculdade de Medicina, Hospital das Clínicas, Instituto do Coração
  • Alfredo Inácio Fiorelli Universidade de São Paulo, Faculdade de Medicina, Hospital das Clínicas, Instituto do Coração
Palavras-chave: Displasia arritmogênica ventricular direita, Transplante de coração, Insuficiência cardíaca

Resumo

A displasia arritmogênica do ventrículo direito (DAVD) é uma doençado miocárdio de origem familiar, caracterizada pela substituição do miocárdio por tecido fibrogorduroso,predominantemente no ventrículo direito, levando a focos de arrritmia, podendolevar à morte súbita. Objetivo: O presente trabalho tem por objetivo apresentar a evoluçãoclínica de quatro pacientes portadores de DAVD que foram submetidos ao transplante cardíacoortotópico pela técnica bicaval. Método e Casuística: Foram levantados os prontuários dequatro pacientes portadores de DAVD, submetidos ao transplante cardíaco, que evidenciou emtodos os casos evolução rápida e grave com insufi ciência cardíaca classe funcional(NYHA) III/IV, arritmias de difícil controle e disfunção biventricular, sendo, portanto, indicado o transplante.Resultados: Em todos os casos o transplante foi realizado pela técnica bicaval com anuloplastiaprofi lática da valva tricúspide. Apenas um paciente evoluiu com rejeição hiperaguda e infecção,indo a óbito no 7º dia de pós-operatório. Nos outros três casos houve remissão completa dossintomas. O exame anatomopatológico dos corações explantados confi rmou a presença dadoença. Conclusões: A DAVD pode ter evolução grave e, nesses casos, o transplante cardíacodeve ser considerado, e mostra-se efetivo, com remissão completa da doença.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Clarissa Nóbrega Gambarra Nascimento, Universidade de São Paulo, Faculdade de Medicina
Acadêmico do 4º ano do curso de Medicina da Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo.
Lucas Burim Vilas Boas, Universidade de São Paulo, Faculdade de Medicina
Acadêmico do 4º ano do curso de Medicina da Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo.
Carlo Felício Campagnoli Napolitano, Universidade de São Paulo, Faculdade de Medicina
Acadêmico do 5º ano do curso de Medicina da Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo.
Guilherme Henrique Bianchi Coelho, Universidade de São Paulo, Faculdade de Medicina, Hospital das Clínicas, Instituto do Coração
Médico estagiário do Instituto do Coração da Universidade de São Paulo.
Ronaldo Honorato, Universidade de São Paulo, Faculdade de Medicina, Hospital das Clínicas, Instituto do Coração
Médico Assistente, Coordenador do Transplante Cardíaco do Instituto do Coração da Universidade de São Paulo.
Alfredo Inácio Fiorelli, Universidade de São Paulo, Faculdade de Medicina, Hospital das Clínicas, Instituto do Coração
Médico Assistente, Chefe do Transplante Cardíaco do Instituto do Coração da Universidade de São Paulo.
Publicado
2009-03-06
Como Citar
Nascimento, C., Boas, L., Napolitano, C. F., Coelho, G. H., Honorato, R., & Fiorelli, A. I. (2009). Transplante cardíaco na displasia arritmogênica do ventrículo direito. Revista De Medicina, 88(1), 36-44. https://doi.org/10.11606/issn.1679-9836.v88i1p36-44
Seção
Artigos Médicos