Internações por Lúpus no estado de Alagoas: 2002-2007

  • Ana Carolina Santos Silva Universidade Federal de Alagoas, Faculdade de Medicina
  • Edla Cavalcanti Amorim Universidade Federal de Alagoas, Faculdade de Medicina
  • Gabriela Gama Silva Universidade Federal de Alagoas, Faculdade de Medicina
  • Waneska Alexandra Alves Universidade Federal de Alagoas, Faculdade de Medicina
  • Divanise Suruagy Correia Universidade Federal de Alagoas, Faculdade de Medicina
Palavras-chave: Lúpus eritematoso sistêmico/epidemiologia, Hospitalização/estatística & dados numéricos

Resumo

Objetivou-se identificar o número de internações por Lúpus no estado de Alagoas no período de 2002 a 2007 com a análise de alguns aspectos relevantes. O Banco de Dados do Sistema Único de Saúde (DATASUS) foi utilizado como fonte de dados. As variáveis abordadas foram retiradas da Ficha de Autorização Hospitalar (AIH) e analisadas no programa EPI INFO 3.5.1 através de medidas estatísticas de frequência. Nesse período, 578 pacientes com Lúpus foram internados no estado de Alagoas, prevalecendo o sexo feminino (90,3%) e a média de idade de 24,36 anos. Quanto à procedência dos pacientes com Lúpus, a maioria era da mesorregião Leste, tendo destaque a cidade de Maceió (capital do estado), origem de 50,71% dos pacientes. A capital possuiu também o maior número de internações (94,3%). A especialidade que realizou maior quantidade de diagnóstico principal e admissão de pacientes com Lúpus foi a Clínica Médica (92,05%), sendo todas essas informações compatíveis com estudos semelhantes realizados em outros estados brasileiros. O mês de maior número de internações foi março, e o período de permanência de internação dos pacientes teve média de 7,24 dias. O custo médio por paciente foi de R$121,77; por dia de internação de R$16,80; e por ano de R$115,18, sendo esses dados divergentes daqueles encontrados na literatura, que mostra um custo em se manter o paciente com Lúpus por ano no Brasil de R$ 999,00, valor significativamente superior. Foram a óbito 14 (2,4%) dos pacientes estudados. Houve prevalência do diagnóstico principal de Lúpus Eritematoso Disseminado não especificado (45,33%).

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Ana Carolina Santos Silva, Universidade Federal de Alagoas, Faculdade de Medicina
Acadêmicas de Medicina. Faculdade de Medicina (FAMED), Universidade Federal de Alagoas (UFAL).
Edla Cavalcanti Amorim, Universidade Federal de Alagoas, Faculdade de Medicina
Acadêmicas de Medicina. Faculdade de Medicina (FAMED), Universidade Federal de Alagoas (UFAL).
Gabriela Gama Silva, Universidade Federal de Alagoas, Faculdade de Medicina
Acadêmicas de Medicina. Faculdade de Medicina (FAMED), Universidade Federal de Alagoas (UFAL).
Waneska Alexandra Alves, Universidade Federal de Alagoas, Faculdade de Medicina
Profª Ms., Faculdade de Medicina (FAMED), Universidade Federal de Alagoas (UFAL).
Divanise Suruagy Correia, Universidade Federal de Alagoas, Faculdade de Medicina
Profª Drª, Faculdade de Medicina (FAMED), Universidade Federal de Alagoas (UFAL).
Publicado
2010-03-19
Como Citar
Silva, A. C., Amorim, E., Silva, G., Alves, W. A., & Correia, D. (2010). Internações por Lúpus no estado de Alagoas: 2002-2007. Revista De Medicina, 89(1), 43-49. https://doi.org/10.11606/issn.1679-9836.v89i1p43-49
Seção
Artigos Médicos