Estimulação magnética transcraniana e aplicabilidade clínica: perspectivas na conduta terapêutica neuropsiquiátrica

  • Haniel Alves Araújo Universidade de São Paulo, Faculdade de Medicina
  • Ricardo Ferrareto Iglesio Universidade de São Paulo, Faculdade de Medicina
  • Guilherme Sacchi de Camargo Correia Universidade de São Paulo, Faculdade de Medicina
  • Diego Toledo R. M. Fernandes Universidade de São Paulo, Faculdade de Medicina, Hospital das Clínicas, Departamento de Neurologia
  • Ricardo Galhardoni Universidade de São Paulo, Faculdade de Medicina, Hospital das Clínicas, Instituto de Psiquiatria
  • Manoel Jacobsen Teixeira Universidade de São Paulo, Faculdade de Medicina, Hospital das Clínicas, Departamento de Neurologia
  • Daniel Ciampi de Andrade Universidade de São Paulo, Faculdade de Medicina, Hospital das Clínicas, Departamento de Neurologia
Palavras-chave: Estimulação magnética transcraniana, Acidente cerebral vascular, Dor/terapia, Doença de Parkinson/terapia, Depressão/patologia

Resumo

Estimulação magnética transcraniana (EMT) é uma técnica conhecida desde o começo dos anos 90 e que atualmente tem ganhado destaque devido a sua segurança e possível aplicabilidade para tratar diversas patologias neuropsiquiátricas refratárias. A fim de clarificar os possíveis usos da EMT e suas variações no campo da clínica como forma de tratamento, procedemos à revisão da literatura selecionando os artigos nas áreas em que a técnica de EMT já tem sido largamente utilizada, a saber: AVC, Dor, Doença de Parkinson e Depressão. Essas doenças possuem elevada morbidade, possuindo grandes implicações na qualidade de vida devido ao elevado grau de incapacidade associado e ao fato de ainda carecerem de métodos terapêuticos totalmente eficientes. Nesse contexto, a EMT emerge como ferramenta promissora, apresentando bons resultados, os quais fornecem margem para aplicações diretas na prática clínica. É necessário, todavia, o desenvolvimento de mais estudos randomizados, para se padronizar e aperfeiçoar as abordagens dessa técnica no tratamento de tais patologias

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Haniel Alves Araújo, Universidade de São Paulo, Faculdade de Medicina
Acadêmico do 3o Ano de Medicina da Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo
Ricardo Ferrareto Iglesio, Universidade de São Paulo, Faculdade de Medicina
Acadêmico do 5o Ano de Medicina da Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo
Guilherme Sacchi de Camargo Correia, Universidade de São Paulo, Faculdade de Medicina
Acadêmico do 2o Ano de Medicina da Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo
Diego Toledo R. M. Fernandes, Universidade de São Paulo, Faculdade de Medicina, Hospital das Clínicas, Departamento de Neurologia
Doutor do Grupo de Dor do Departamento de Neurologia do Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo
Ricardo Galhardoni, Universidade de São Paulo, Faculdade de Medicina, Hospital das Clínicas, Instituto de Psiquiatria
Doutor do Grupo de Estimulação Magnética Transcraniana do Instituto de Psiquiatria do Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina - USP
Manoel Jacobsen Teixeira, Universidade de São Paulo, Faculdade de Medicina, Hospital das Clínicas, Departamento de Neurologia
Professor Titular de Neurocirurgia, Departamento de Neurologia do Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina - USP
Daniel Ciampi de Andrade, Universidade de São Paulo, Faculdade de Medicina, Hospital das Clínicas, Departamento de Neurologia
Doutor do Grupo de Dor do Departamento de Neurologia do Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo
Publicado
2011-03-01
Como Citar
Araújo, H., Iglesio, R., Correia, G., Fernandes, D., Galhardoni, R., Teixeira, M., & Andrade, D. (2011). Estimulação magnética transcraniana e aplicabilidade clínica: perspectivas na conduta terapêutica neuropsiquiátrica. Revista De Medicina, 90(1), 3-14. https://doi.org/10.11606/issn.1679-9836.v90i1p3-14
Seção
Artigos