Associação entre exercício físico e qualidade de vida de pacientes em hemodiálise

  • Beatriz Bertolaccini Martínez Universidade do Vale do Sapucaí, Faculdade de Ciências da Saúde
  • Fernanda Marcelino da Silva Universidade do Vale do Sapucaí, Faculdade de Ciências da Saúde
  • Fabíula Carvalho Corrêa Universidade do Vale do Sapucaí, Faculdade de Ciências da Saúde
  • Luciana de Almeida Universidade do Vale do Sapucaí, Faculdade de Ciências da Saúde
Palavras-chave: Diálise renal, Exercício, Qualidade de vida

Resumo

INTRODUÇÃO: Vários estudos têm demonstrado a relação entre a prática de exercício físico (EF) e a melhora da qualidade de vida (QV) da população geral. Muitos fatores contribuem para a piora da QV dos pacientes em hemodiálise (HD) e com freqüência encontramos nestes indivíduos uma baixa aptidão para a prática de EF. Nosso objetivo neste trabalho foi estudar a associação do EF com a QV do paciente em HD. MÉTODOS: Estudo transversal com 115 pacientes em hemodiálise no Hospital das Clínicas Samuel Libânio – Pouso Alegre, MG, divididos em 2 grupos: GS: pacientes sedentários; GA: pacientes que realizavam exercício físico regular. Para medida da QV foi utilizado o instrumento SF-36. Foram coletados dados clínicos, socioeconômicos e laboratoriais. Para a análise dos resultados foi utilizada estatística analítica e descritiva. Adotamos 0,05 como nível de rejeição da hipótese de nulidade. RESULTADOS: Não encontramos diferenças entre idade (GS: 53,3 ± 13,0; GA:53,8 ± 13,8); etnia (56% de caucasianos em GS e 60% em GA); hemoglobinemia (GS: 10,3 ± 1,7; GA:10,7 ± 1,9); índice de massa corpórea (GS: 23,6 ± 4,3; GA:24,1 ± 3,8). Quando comparamos os escores dos domínios do SF-36 observamos diferença entre capacidade funcional (GS:53,0 ± 27,5 e GA: 72,4 ± 20,9; p = 0,0001); aspectos físicos (GS:43,1±41,9 e GA: 56,4 ± 33,9; p = 0,05); dor (GS:60,1 ± 27,9 e GA: 70,4 ± 22,8; p = 0,03); vitalidade (GS:53,3 ± 25,1 e GA: 66,1 ± 21,2; p = 0,05) e saúde mental (GS:65,0 ± 26,7 e GA: 76,2 ± 19,2; p = 0,006). CONCLUSÃO: observamos uma relação direta do exercício físico com a qualidade de vida, mas não pudemos estabelecer uma relação de causa e efeito com este estudo

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Beatriz Bertolaccini Martínez, Universidade do Vale do Sapucaí, Faculdade de Ciências da Saúde
Professora doutora do curso de Medicina da Faculdade de Ciências da Saúde Dr José Antônio Garcia Coutinho – Universidade do Vale do Sapucaí, Pouso Alegre, MG
Fernanda Marcelino da Silva, Universidade do Vale do Sapucaí, Faculdade de Ciências da Saúde
Acadêmicas de Medicina, Faculdade de Ciências da Saúde Dr José Antônio Garcia Coutinho – Universidade do Vale do Sapucaí, Pouso Alegre, MG
Fabíula Carvalho Corrêa, Universidade do Vale do Sapucaí, Faculdade de Ciências da Saúde
Acadêmicas de Medicina, Faculdade de Ciências da Saúde Dr José Antônio Garcia Coutinho – Universidade do Vale do Sapucaí, Pouso Alegre, MG
Luciana de Almeida, Universidade do Vale do Sapucaí, Faculdade de Ciências da Saúde
Acadêmicas de Medicina, Faculdade de Ciências da Saúde Dr José Antônio Garcia Coutinho – Universidade do Vale do Sapucaí, Pouso Alegre, MG
Publicado
2011-03-01
Como Citar
Martínez, B., Silva, F., Corrêa, F., & Almeida, L. de. (2011). Associação entre exercício físico e qualidade de vida de pacientes em hemodiálise. Revista De Medicina, 90(1), 52-57. https://doi.org/10.11606/issn.1679-9836.v90i1p52-57
Seção
Artigos