Nível de exposição ao Mycobacterium tuberculosis em estudantes de medicina de uma universidade do sul de Minas

  • Eugênio Fernandes de Magalhães Universidade do Vale do Sapucaí, Faculdade de Ciências Médicas
  • Claudinei Leôncio Beraldo Universidade do Vale do Sapucaí, Faculdade de Ciências Médicas.
  • Júlio Pereira Costa Júnior Universidade do Vale do Sapucaí, Faculdade de Ciências Médicas
  • Danilo Giffoni de Melo Morais Mata Universidade do Vale do Sapucaí, Faculdade de Ciências Médicas
  • Bruno Leôncio de Moraes Beraldo Universidade do Vale do Sapucaí, Hospital Universitário Samuel Libâneo
Palavras-chave: Teste tuberculínico, Tuberculose latente, Estudantes de medicina, Infecção nosocomial, Mycobacterium tuberculosis

Resumo

Objetivos. Verificar o nível de exposição ao Mycobacterium tuberculosis e os fatores de risco associados, utilizando o teste tuberculínico como marcador para tuberculose latente em universitários do curso de medicina da UNIVÁS em Pouso Alegre, MG, Brasil. Métodos. Estudo transversal com 120 estudantes divididos em três grupos: básico, intermediário e internato. Informações relativas ao gênero, faixa etária, presença de cicatriz BCG, segunda dose de BCG, contato prévio com portador de tuberculose e história pessoal de tuberculose foram obtidas por meio de questionário. O teste tuberculínico foi realizado por profissional habilitado e foi definido como positivo quando a enduração foi maior de 5mm. Resultados. A prevalência de expostos ao Mycobacterium tuberculosis foi de 28,3%, sendo mais frequente nos alunos do internato. Observou-se uma maior positividade no gênero feminino (p > 0,05). O teste tuberculínico foi positivo naqueles maiores de 21 anos, com cicatriz vacinal (BCG) e que não tiveram contato com indivíduo com tuberculose, (p > 0,05). Os estudantes que receberam a segunda dose de BCG tiveram maior chance de apresentar teste positivo quando confrontados com os que não foram vacinados (RC = 0,35; 95% IC = 0,1-0,9; p = 0,023). Conclusões. A maior prevalência de tuberculose latente ao final do curso médico sugere que os estudantes de medicina estão possivelmente expostos a transmissão nosocomial de Mycobacterium tuberculosis. Este estudo mostrou a vulnerabilidade desta população em relação à tuberculose e revelou a necessidade de implementação de programas de biossegurança para os estudantes de medicina, além de alertar para o uso de medidas de controle

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Eugênio Fernandes de Magalhães, Universidade do Vale do Sapucaí, Faculdade de Ciências Médicas
Mestre em Pediatria pela Faculdade de Ciências Médicas da Santa Casa de São Paulo, SP. Professor Auxiliar da Faculdade de Ciências Médicas da Universidade do Vale do Sapucaí/UNIVÁS, Pouso Alegre, MG
Claudinei Leôncio Beraldo, Universidade do Vale do Sapucaí, Faculdade de Ciências Médicas.
Doutor e Mestre em Pneumologia pela Universidade Federal de São Paulo, Brasil. Professor Titular da Faculdade de Ciências Médicas da Universidade do Vale do Sapucaí/UNIVÁS, Pouso Alegre, MG
Júlio Pereira Costa Júnior, Universidade do Vale do Sapucaí, Faculdade de Ciências Médicas
Graduandos em Medicina, Faculdade de Ciências Médicas da Universidade do Vale do Sapucaí/UNIVÁS, Pouso Alegre, MG
Danilo Giffoni de Melo Morais Mata, Universidade do Vale do Sapucaí, Faculdade de Ciências Médicas
Graduandos em Medicina, Faculdade de Ciências Médicas da Universidade do Vale do Sapucaí/UNIVÁS, Pouso Alegre, MG
Bruno Leôncio de Moraes Beraldo, Universidade do Vale do Sapucaí, Hospital Universitário Samuel Libâneo
Residente de Clínica Médica, Hospital Universitário Samuel Libâneo, Universidade do Vale do Sapucaí/UNIVÁS, Pouso Alegre, MG
Publicado
2011-06-17
Como Citar
Magalhães, E., Beraldo, C., Costa Júnior, J., Mata, D., & Beraldo, B. (2011). Nível de exposição ao Mycobacterium tuberculosis em estudantes de medicina de uma universidade do sul de Minas. Revista De Medicina, 90(2), 94-99. https://doi.org/10.11606/issn.1679-9836.v90i2p94-99
Seção
Artigos