Cultivo de células-tronco derivadas de tecido adiposo: uma análise crítica

  • Pedro Ribeiro Soares de Ladeira Universidade de São Paulo, Faculdade de Medicina
  • Cesar Isaac Universidade de São Paulo, Faculdade de Medicina
  • Yeda Midori Nakamura Universidade de São Paulo, Faculdade de Medicina
  • Rafael Mamoru Carneiro Tutihashi Universidade de São Paulo, Faculdade de Medicina
  • André Oliveira Paggiaro Universidade de São Paulo, Faculdade de Medicina
  • Marcus Castro Ferreira Universidade de São Paulo, Faculdade de Medicina
Palavras-chave: Células-tronco, Células-tronco mesenquimais, Células-tronco adultas, Tecido adiposo, Técnicas de cultura de células, Meios de cultivo condicionados, Colagenases.

Resumo

Introdução: células-tronco derivadas de tecido adiposo (ADSCs) são pluripotentes, tem coleta pouco invasiva e apresentam alto rendimento celular em cultura, além do fato de o número de lipoaspirações, a principal fonte destas células, estar aumentando ao redor do mundo. A Cirurgia Plástica tem encontrado benefícios de seu uso em diversas áreas, o que ressalta a importância de se analisar criticamente os protocolos de cultivo atualmente utilizados. Objetivo: descrever detalhadamente o protocolo de cultivo adotado pelo nosso laboratório para podermos realizar uma análise crítica sobre o cultivo de ADSCs. Método: excedentes de tecido adiposo foram doados ao laboratório com finalidade de pesquisa por cinco pacientes de ambos os sexos e faixa etária de 20 a 45 anos. De cada paciente, 30 mL do material gorduroso foram coletados em frasco estéril e transportados ao laboratório de cultura celular, onde foram submetidos, por 45 min, à digestão enzimática por 30 mg de colagenase tipo IA diluída em 30mL de meio de Dulbecco Modificado por Eagle (DMEM) e posteriormente centrifugados para que se isolem as células da matriz extracelular. A amplificação das culturas foi feita com solução de tripsina 0,05% + EDTA 0,02%. Para congelamento, utilizou-se meio de congelamento composto por 60% DMEM, 10% dimetilsulfóxido (DMSO) e 30% SBF. Resultados: o protocolo apresentado para o cultivo de ADSCs demonstrou um cultivo celular satisfatório, completando três passagens de cultura em todas as amostras, com posterior congelamento e descongelamento. Conclusões: a literatura científica nos indica que a colagenase possibilita extração e isolamento de ADSCs, devendo-se atentar ao tipo utilizado. Quanto ao congelamento, dado a citotoxicidade do DMSO, novos protocolos com grandes amostras substituindo este crioprotetor por trealose devem ser testados, visto que este último produziu bons resultados e não apresentou efeitos tóxicos nos estudos já publicados

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Pedro Ribeiro Soares de Ladeira, Universidade de São Paulo, Faculdade de Medicina
Acadêmico do curso de Medicina da Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo – FMUSP.
Cesar Isaac, Universidade de São Paulo, Faculdade de Medicina
Médico responsável pelo Laboratório de Pesquisas em Cultura Celular e Feridas – LIM 04 HCFMUSP.
Yeda Midori Nakamura, Universidade de São Paulo, Faculdade de Medicina
Bióloga membro do Laboratório de Pesquisas em Cultura Celular e Feridas – LIM 04 - HCFMUSP.
Rafael Mamoru Carneiro Tutihashi, Universidade de São Paulo, Faculdade de Medicina
Médico membro do Laboratório de Pesquisas em Cultura Celular e Feridas – LIM 04 - HCFMUSP.
André Oliveira Paggiaro, Universidade de São Paulo, Faculdade de Medicina
Médico responsável pelo Banco de Tecidos do Instituto Central do Hospital das Clínicas da FMUSP.
Marcus Castro Ferreira, Universidade de São Paulo, Faculdade de Medicina
Professor Titular da Disciplina de Cirurgia Plástica – FMUSP e Diretor Técnico da Divisão de Cirurgia Plástica e Queimados - HCFMUSP.
Publicado
2012-12-18
Como Citar
Ladeira, P., Isaac, C., Nakamura, Y., Tutihashi, R., Paggiaro, A., & Ferreira, M. (2012). Cultivo de células-tronco derivadas de tecido adiposo: uma análise crítica. Revista De Medicina, 91(4), 246-252. https://doi.org/10.11606/issn.1679-9836.v91i4p246-252
Seção
Artigos