Perfil biofísico fetal e dopplervelocimetria da circulação fetal e fetoplacentária em gestantes hipertensas: estudo comparativo das variáveis perinatais

  • Lilian Renata Fiorelli Universidade de São Paulo, Faculdade de Medicina
  • Paula Gabriela Marin Figueira Universidade de São Paulo, Faculdade de Medicina
  • Roberta Caetano Dracxler Universidade de São Paulo, Faculdade de Medicina
  • Seizo Miyadahira Universidade de São Paulo, Faculdade de Medicina
  • Roseli Nomura Universidade de São Paulo, Faculdade de Medicina
  • Marcelo Zugaib Universidade de São Paulo, Faculdade de Medicina
Palavras-chave: Feto/irrigação sanguínea, Retardo de crescimento fetal, Hipertensão/etiologia, Complicações cardiovasculares na gravidez, Ultra-sonografia pré-natal, Ultra-sonografia placentária/fisiologia.

Resumo

Introdução: A síndrome hipertensiva, incluindo a Doença Hipertensiva Específi cada Gestação (DHEG), a Hipertensão Arterial Sistêmica Crônica (HAC) e a HAC com DHEGsuperajuntada, pode resultar em insufi ciência placentária que, por sua vez, está fortementerelacionada à restrição de crescimento intra-uterino (RCIU), patologia associada a elevado riscode morbi-mortalidade perinatal. Avaliar as condições intra-útero é de grande importância paraa conduta, seguimento e até mesmo interrupção dessas gestações, e é nesse momento quea cardiotocografi a (CTG), o perfi l biofísico fetal (PBF) e a dopplervelocimetria ganham papéisde destaque no acompanhamento pré-natal. Objetivo: Avaliar o papel da CTG, do PBF e dadopplervelocimetria nas síndromes hipertensivas, comparando os grupos DHEG e não DHEGe analisando seus valores com os resultados pós-natais. Materiais e métodos: Trata-se de umestudo retrospectivo em que foram analisados prontuários de 247 gestantes hipertensas quetiveram seus partos no HCFMUSP entre nov/2005 e nov/2006. Os seguintes métodos diagnósticosforam analisados: cardiotocografi a anteparto, perfi l biofísico fetal, dopplervelocimetriasda artéria umbilical (A/B e PI) e da artéria cerebral media, e ultrassonografi a. As variáveisperinatais estudadas foram: índice de Apgar, gasometria da artéria umbilical e classifi cação dopeso do recém-nascido de acordo com a idade gestacional. Os estudos estatísticos utilizadosforam o teste de Fisher e o de qui-quadrado (x2), considerados signifi cativos quando p < 0,05.Resultados: Pacientes com DHEG apresentaram resultados anormais de Dopplervelocimetriade artérias umbilicais pelo índice A/B (p = 0,0424) e PI (p = 0,028613), maior proporçãode RCF pela USG (p = 0,0294) e proteinúria de 24 horas alterada (p<0,0001). Esse métodotambém mostrou correlação com o PIG (p 0,0032), Apgar (p 0,01806) e pH (p 0,0086). A CTGtambém mostrou maior correlação com ocorrência de PIG (p 0,0017). Conclusão: Apenas adopplervelocimetria das artérias umbilicais correlacionou-se com DHEG, assim como com oApgar e pH < 7,20. Além disso, essa e a CTG correlacionaram-se com a ocorrência de RNPIG. Dessa forma, notou-se nítida superioridade dessa primeira na predição dos resultadosneonatais adversos.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Lilian Renata Fiorelli, Universidade de São Paulo, Faculdade de Medicina
Acadêmica de medicina da Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo.
Paula Gabriela Marin Figueira, Universidade de São Paulo, Faculdade de Medicina
Acadêmica de medicina da Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo.
Roberta Caetano Dracxler, Universidade de São Paulo, Faculdade de Medicina
Acadêmica de medicina da Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo.
Seizo Miyadahira, Universidade de São Paulo, Faculdade de Medicina
Prof. Dr. Livre Docente da Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo.
Roseli Nomura, Universidade de São Paulo, Faculdade de Medicina
Prof. Dr. Livre Docente da Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo.
Marcelo Zugaib, Universidade de São Paulo, Faculdade de Medicina
Professor Titular da Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo.
Publicado
2008-03-18
Como Citar
Fiorelli, L., Figueira, P., Dracxler, R., Miyadahira, S., Nomura, R., & Zugaib, M. (2008). Perfil biofísico fetal e dopplervelocimetria da circulação fetal e fetoplacentária em gestantes hipertensas: estudo comparativo das variáveis perinatais. Revista De Medicina, 87(1), 32-43. https://doi.org/10.11606/issn.1679-9836.v87i1p32-43
Seção
Artigos Médicos