Evolução da Moléstia de Hansen (MH) em onze doentes com HIV+ e AIDS

  • Vivian Barzi Loureiro Universidade de são Paulo, Faculdade de Medicina
  • Caroline Coronado Cha Universidade de são Paulo, Faculdade de Medicina
  • Beatriz Keiko Zambon Universidade de são Paulo, Faculdade de Medicina
  • Luciana Maragno Universidade de são Paulo, Faculdade de Medicina
  • Juliana Favaro Universidade de são Paulo, Faculdade de Medicina
  • Leontina da Conceição Margarido Universidade de são Paulo, Faculdade de Medicina
Palavras-chave: Hanseníase/etiologia, Hanseníase/imunologia, Hanseníase/epidemiologia, Infecções por HIV/diagnóstico, Infecções por HIV/imunologia, Síndrome de Imunodeficiência adquirida/diagnóstico, Síndrome de Imunodeficiência adquirida/imunologia, Comorbidade.

Resumo

A moléstia de Hansen (MH) e a AIDS são importantes problemas de saúde pública no Brasil. Este trabalho visa verifi car a incidência de co-infecção pelo HIV e AIDS numgrupo de doentes de hanseníase. Foram examinados 620 doentes de hanseníase, com ousem estado reacional, no período de 1987 a 1997. Após consentimento, foram submetidosao teste de ELISA, para HIV; os positivos foram confi rmados pelo Western Blot, tratados e seguidos. Foram diagnosticados onze doentes (1,8%) com HIV. São descritos no trabalho aevolução deste grupo de doentes quanto aos aspectos clínicos, terapêuticos, histológicos,estados reacionais e resposta ao antígeno de Mitsuda. Conclusões: 1. A técnica de Elisapara diagnóstico do HIV é segura nos doentes de MH. 2. Os estados reacionais da MH nãointerferiram nos resultados de ELISA e de Western Blot. 3. Doentes com teste de Mitsudapositivo podem se tornar menos positivos com a imunossupressão do HIV, o que nos indicaprogressiva diminuição de resistência específi ca contra o BH, sugerindo que o HIV e a AIDSpromovem modifi cação da resposta imune celular específi ca ao BH. 4. Provavelmente, ainfecção pelo HIV pode reduzir o período de incubação da MH. 5. Doentes paucibacilares eportadores do HIV+, adequadamente tratados contra a MH, não apresentam recidiva após ainstalação da AIDS.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Vivian Barzi Loureiro, Universidade de são Paulo, Faculdade de Medicina
Acadêmico FMUSP.
Caroline Coronado Cha, Universidade de são Paulo, Faculdade de Medicina
Acadêmico FMUSP.
Beatriz Keiko Zambon, Universidade de são Paulo, Faculdade de Medicina
Acadêmico FMUSP.
Luciana Maragno, Universidade de são Paulo, Faculdade de Medicina
Residente de Dermatologia HCFMUSP.
Juliana Favaro, Universidade de são Paulo, Faculdade de Medicina
Residente de Dermatologia HCFMUSP.
Leontina da Conceição Margarido, Universidade de são Paulo, Faculdade de Medicina
Profª. Assistente Doutora, Depto Dermatologia –HCFMUSP.
Publicado
2008-03-18
Como Citar
Loureiro, V., Cha, C., Zambon, B., Maragno, L., Favaro, J., & Margarido, L. (2008). Evolução da Moléstia de Hansen (MH) em onze doentes com HIV+ e AIDS. Revista De Medicina, 87(1), 66-75. https://doi.org/10.11606/issn.1679-9836.v87i1p66-75
Seção
Artigos Médicos