Síndrome da criança hipotônica: causas neuromusculares

  • Umbertina Conti Reed Universidade de São Paulo, Faculdade de Medicina, Departamento de Neurologia
Palavras-chave: Hipotonia muscular/congênito, Doenças neuromusculares/patologia, Polineuropatias/congênito, Miopatias congênitas estruturais, Distrofias musculares/congênito.

Resumo

A síndrome da criança hipotônica engloba as condições em que a hipotonia muscular se manifesta no recém-nascido ou nos primeiros dois anos de vida. Inclui um grande número de situações que podem ser divididas em dois subtipos: a hipotonia intrínseca ou primária, que depende do acometimento das estruturas que compõem a unidade motora periférica desde o motoneurônio medular até o músculo, e a hipotonia secundária. Esta última ocorre principalmente como sinal acessório em afecções neurológicas com comprometimento do sistema nervoso central, ou no contexto de síndromes genéticas, bem como de doenças sistêmicas graves de caráter extraneurológico. Neste trabalho nos referiremos apenas às situações de hipotonia intrínseca, ou seja, doenças neuromusculares, caracterizando as principais afecções deste grupo no recém-nascido e no lactente, e enfatizando quais os aspectos clínicos que permitem orientar as hipóteses diagnósticas e indicar os exames complementares adequados, principalmente, os testes moleculares, quando possíveis.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Umbertina Conti Reed, Universidade de São Paulo, Faculdade de Medicina, Departamento de Neurologia
Professora Titular do Departamento de Neurologia. Disciplina de Neurologia Infantil.
Publicado
2007-06-20
Como Citar
Reed, U. (2007). Síndrome da criança hipotônica: causas neuromusculares. Revista De Medicina, 86(2), 82-93. https://doi.org/10.11606/issn.1679-9836.v86i2p82-93
Seção
Aprendendo