Campanha voluntária em comunidades carentes para diagnóstico precoce da moléstia de Hansen - integração docente, discente e assistencial

  • Vivian Barzi Loureiro Universidade de São Paulo, Faculdade de Medicina
  • Sabrina Sisto Alessi Universidade de São Paulo, Faculdade de Medicina
  • Luciana Maragno Universidade de São Paulo, Faculdade de Medicina
  • Leontina C. Margarido Universidade de São Paulo, Faculdade de Medicina
Palavras-chave: Diagnóstico precoce, Hanseníase/diagnóstico, Hanseníase/epidemiologia, Promoção da saúde, Serviços de integração, Docente-assistencial, Hanseníase/prevenção & controle.

Resumo

Objetivo: Comparação do número de doentes de hanseníase verificado nas campanhas realizadas em comunidades carentes de São Paulo com os dados do Ministério da Saúde e da Organização Mundial da Saúde; e também, com os verificados nas campanhas realizadas em três cidades do Acre. Metodologia: Nas campanhas voluntárias, realizadas desde 2001 em diversas comunidades carentes do Estado de São Paulo, foram feitos exames dermatológicos de 874 crianças e adultos, visando o diagnóstico precoce e tratamento da hanseníase, através da busca ativa de pacientes. Resultados: Foram diagnosticados 57doentes de hanseníase, correspondendo a 6,5% das pessoas examinadas, o que equivale a número cerca de cem vezes maior que os índices oficiais do Ministério da Saúde do Brasil(MS). Conclusão: O número de doentes diagnosticados nestas campanhas é muito mais elevado que as taxas oficiais do Brasil; embora o MS revele o número de doentes diagnosticados pela demanda espontânea e estas campanhas demonstrem doentes detectados através de busca ativa, confirma-se a existência de endemia oculta muito alta, que deve ser diagnosticada e tratada precocemente.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Vivian Barzi Loureiro, Universidade de São Paulo, Faculdade de Medicina
Acadêmica do 4º ano do curso da medicina da  Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo.
Sabrina Sisto Alessi, Universidade de São Paulo, Faculdade de Medicina
Acadêmica do 6º ano do curso da medicina da Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo.
Luciana Maragno, Universidade de São Paulo, Faculdade de Medicina
Colaboradora. Residente de Dermatologia do Hospital da Clinicas da Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo.
Leontina C. Margarido, Universidade de São Paulo, Faculdade de Medicina
Orientadora, coordenadora científica do Núcleo Multidisciplinar de Hansenologia do Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo.
Publicado
2006-06-21
Como Citar
Loureiro, V., Alessi, S., Maragno, L., & Margarido, L. (2006). Campanha voluntária em comunidades carentes para diagnóstico precoce da moléstia de Hansen - integração docente, discente e assistencial. Revista De Medicina, 85(2), 50-57. https://doi.org/10.11606/issn.1679-9836.v85i2p50-57
Seção
Artigos Médicos