Estudo eletrocardiomiográfico da hipertrofia ventricular esquerda

  • Flavio G. de Carvalho Universidade de São Paulo, Faculdade de Medicina
  • Jaime Rozenbojm Universidade de São Paulo, Faculdade de Medicina
  • Ivanhoé Espósito Universidade de São Paulo, Faculdade de Medicina
Palavras-chave: Hipertrofia ventricular esquerdo, Eletrocardiografia.

Resumo

São relatadas as modificações eletrocardiográficas observadas em 141 casos de hipertrofia ventricular esquerda. Os achados são distribuídos em 2 grupos: 1) casos com sinais eletrocardiográficos sugestivos de hipertrofia ventricular esquerda; 2) casos com sinais de certezade hipertrofia ventricular esquerda. Os autores classificam as modificações eletrocardiográficas encontradas nos casos acima mencionados em duas séries: alterações fundamentais e alterações secundárias. As modificações eletrocardiográficas fundamentais são: 1) onda R em V5 com mais de 15 mm de amplitude; 2) onda T em V5 achatada, negativa ou difásica; 3) atraso no aparecimento da deflexão intrínseca; 4) onda T em D1 achatada, negativa ou difásica; 5) complexo QRS alargadonas derivações clássicas (com mais de 0,10s). As alterações eletrocardiográficas secundárias são: 1) desnivelamento do segmento RS-T em V5; 2) desnivelamento do segmento RS-T em V3;3) onda T e V3 achatada, negativa ou difásica; 4) complexo QRS de alta voltagem nas derivações clássicas; 5) desvio do eixo elétrico para a esquerda.O diagnóstico de certeza de hipertrofia ventricular esquerda deve ser estabelecido quando forem encontradas todas as 5 modificações fundamentais ou 4 fundamentais e 1 secundária ou 3 fundamentais e 3 ou mais secundárias. O diagnóstico de suspeição de hipertrofia ventricular esquerda deve ser estabelecido quando fôrem encontradas uma das alterações secundárias.Em, 68 (48,22%) dos 141 casos, foi feito diagnóstico de certeza de hipertrofia ventricular esquerda, sendo o diagnóstico de suspeição feito em 73 casos(51,78%). A posição elétrica do coração foi determinada em todos os casos.

Nota: Trabalho apresentado e premiado no IV Congresso Médico-Acadêmico Interestadual, São Paulo, em 1948. Neste número especial com artigos publicados na Revista de Medicina em 1948, traz um comentário dos Drs. Alfredo José Mansur e Paulo Jorge Moffa (Departamento de Cardiologia da FMUSP).

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Flavio G. de Carvalho, Universidade de São Paulo, Faculdade de Medicina
Estudante estagiário na Cadeira Terapêutica Clínica da Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo.
Jaime Rozenbojm, Universidade de São Paulo, Faculdade de Medicina
Estudante estagiário na Cadeira Terapêutica Clínica da Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo.
Ivanhoé Espósito, Universidade de São Paulo, Faculdade de Medicina
Estudante estagiário na 1ª Cadeira de Clínica Cirúrgica Médica da Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo.
Publicado
2006-12-16
Como Citar
Carvalho, F., Rozenbojm, J., & Espósito, I. (2006). Estudo eletrocardiomiográfico da hipertrofia ventricular esquerda. Revista De Medicina, 85(4), 130-141. https://doi.org/10.11606/issn.1679-9836.v85i4p130-141
Seção
Aprendendo