Realização de Papanicolaou em profissionais de saúde

  • Ana Cláudia Camargo Gonçalves da Silva Universidade de São Paulo, Faculdade de Medicina, Departamento de Medicina Preventiva.
  • Leila David Bloch Universidade de São Paulo, Faculdade de Medicina.
  • Marco Antonio Paes de Freitas Filho Universidade de São Paulo, Faculdade de Medicina.
  • José Eluf Neto Universidade de São Paulo, Faculdade de Medicina, Departamento de Medicina Preventiva
Palavras-chave: Esfregaço vaginal/métodos, Pessoal de saúde, Neoplasias do colo uterino/prevenção & controle.

Resumo

A abordagem mais efetiva para a redução da morbidade e mortalidade do câncer de colo uterino é o rastreamento por citologia cervical (Papanicolaou). Este estudo transversal
teve como objetivo avaliar a realização e o conhecimento sobre o teste de Papanicolaou em auxiliares de enfermagem. Os indivíduos foram selecionados de modo aleatório entre profissionais que trabalham no Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo, com idade entre 40 e 69 anos. Foi aplicado um questionário semi-estruturado em 95 auxiliares de enfermagem (média de idade - 46,7 anos, desvio-padrão - 5,5). Noventa mulheres
(94,7%) haviam realizado o teste como rastreamento. Quanto à finalidade do exame, somente 39 (41,0%) apontaram a detecção ou a prevenção do câncer de colo de útero. Por outro lado, 91 das (95,8%) auxiliares acreditam que o Papanicolaou deveria ser colhido com periodicidade
menor ou igual a 1 ano, e 45 (47,4%) com seis meses ou menos. Conclusão: Apesar da maioria das auxiliares de enfermagem terem conhecimento parcial a respeito da finalidade do Papanicolaou, a prática deste teste é mais elevada do que na população geral. Além disso, essas profissionais de saúde consideram que a freqüência de realização do exame deveria ser bem maior do que a preconizada. 

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Ana Cláudia Camargo Gonçalves da Silva, Universidade de São Paulo, Faculdade de Medicina, Departamento de Medicina Preventiva.
Médica residente em medicina preventiva da FMUSP.
Leila David Bloch, Universidade de São Paulo, Faculdade de Medicina.
Acadêmica do 5º ano da FMUSP.
Marco Antonio Paes de Freitas Filho, Universidade de São Paulo, Faculdade de Medicina.
Acadêmico do 6º ano da FMUSP.
José Eluf Neto, Universidade de São Paulo, Faculdade de Medicina, Departamento de Medicina Preventiva
Professor Titular do Departamento de Medicina Preventiva.
Publicado
2004-06-29
Como Citar
Silva, A. C., Bloch, L., Freitas Filho, M. A., & Eluf Neto, J. (2004). Realização de Papanicolaou em profissionais de saúde. Revista De Medicina, 83(1-2), 28-32. https://doi.org/10.11606/issn.1679-9836.v83i1-2p28-32
Seção
Artigos Médicos