Princípios gerais de tratamento da dor músculo-esquelética

  • Manoel Jacobsen Teixeira Universidade de São Paulo, Faculdade de Medicina
  • William Gemio Jacobsen Teixeira Universidade de São Paulo, Faculdade de Medicina
  • Viviane Passadori Viveiros Universidade de São Paulo, Escola de Enfermagem
Palavras-chave: Dor/terapia, Doença crônica, Síndromes da dor miofascial/terapia, Dor/reabilitação.

Resumo

A dor apresenta várias dimensões que devem ser avaliadas e normalizadas quando se objetiva seu controle. O tratamento da dor deve ser fundamentado na eliminação dos fatores causais e, quando necessário, no uso de procedimentos analgésicos farmacológicos, medicina física, procedimentos psicocomportamentais, procedimentos neuroanestésicos e ou neurocirúrgicos funcionais. As medidas devem ser simples, seguras, de baixo custo operacional e accessíveis. O tratamento farmacológico consiste no uso de analgésicos antiinflamatórios não hormonais, analgésicos opióides e medicação adjuvantes representada por antidepressivos tricíclicos, neurolépticos, anticonvulsivantes, corticosteróides, moduladores da atividade adrenérgica e serotoninérgica, miorrelaxantes etc. Dentre esses, os agentes analgésicos antiinflamatórios e os opióides associados aos psicotrópicos e miorrelaxantes são os mais empregados no tratamento da dor músculo-esquelética. Procedimentos de medicina física são necessários no tratamento da grande maioria das afecções álgicas músculo-esqueléticas. As infiltrações dos pontos gatilhos são procedimentos bastante úteis no tratamento da síndrome dolorosa miofascial. A descompressão de estruturas neurais, o implante de sistemas para a infusão de medicação analgésica no sistema nervoso central, a lesão por radiofreqüência, dos nervos recorrentes posteriores e a coagulação do disco intervertebral são indicados em casos rebeldes.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Manoel Jacobsen Teixeira, Universidade de São Paulo, Faculdade de Medicina

Neurocirurgião. Prof. Dr. do Departamento de Neurologia da Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo e Diretor da Liga de Dor do Centro Acadêmico Oswaldo Cruz da Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo e do Centro Acadêmico XXXI de Outubro da Escola de Enfermagem da Universidade de São Paulo.

William Gemio Jacobsen Teixeira, Universidade de São Paulo, Faculdade de Medicina

Aluno de graduação do Curso de Medicina da Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo e membro da Liga de Dor do Centro Acadêmico Oswaldo Cruz da Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo e do Centro Acadêmico XXXI de Outubro da Escola de Enfermagem da Universidade de São Paulo.

Viviane Passadori Viveiros, Universidade de São Paulo, Escola de Enfermagem

Aluna de graduação do Curso de Enfermagem da Escola de Enfermagem da Universidade de São Paulo e membro da Liga de Dor do Centro Acadêmico Oswaldo Cruz da Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo e do Centro Acadêmico XXXI de Outubro da Escola de Enfermagem da Universidade de São Paulo.

Publicado
2001-06-29
Como Citar
Teixeira, M., Teixeira, W., & Viveiros, V. (2001). Princípios gerais de tratamento da dor músculo-esquelética. Revista De Medicina, 80(spe1), 170-178. https://doi.org/10.11606/issn.1679-9836.v80ispe1p170-178