Modelo experimental de reimplante de membro após isquemia quente em ratos e efeito da estreptoquinase, alopurinol e terapia com oxigênio hiperbárico

  • José Carlos Faes da Silva Universidade de São Paulo, Faculdade de Medicina
  • Danielle Tiemi Simão Universidade de São Paulo, Faculdade de Medicina
  • Leandro Gregorut Lima Universidade de São Paulo, Faculdade de Medicina
  • Marcelo Sacramento Cunha Universidade de São Paulo, Faculdade de Medicina
  • Alexandre Wada Universidade de São Paulo, Faculdade de Medicina
  • Hugo Nakamoto Universidade de São Paulo, Faculdade de Medicina
  • Marcus Castro Ferreira Universidade de São Paulo, Faculdade de Medicina
Palavras-chave: Ratos Wistar, Reimplante/métodos, Extremidade/cirurgia, Perna/transplante, Isquemia/cirurgia, Alupurinol/uso terapêutico, Oxigenação hiperbárica/métodos, Estreptoquinase/uso terapêutico.

Resumo

A isquemia prolongada leva a alterações na microcirculação tecidual e liberação de radicais livres do oxigênio conhecidos como fenômeno de não reperfusão. Foi realizado amputação com preservação dos vasos e nervos do membro posterior direito em 110 ratos. Os grupos GM1, GM2, GM3, GM4 e GM5 foram submetidos a isquemia quente de 0, 2, 4, 6, 8 horas. As taxas de sobrevida dos membros isquêmicos após 7 dias de avaliação foram 100%, 80%, 63,6%, 50%, 20%. Os grupos GE1, GE2 e GE3 foram tratados com estreptoquinase, alopurinol e terapia com oxigênio hiperbárico após isquemia de 6 horas. As taxas de sobrevida foram 66,7%, 70% e 30%. Os resultados foram analisados estatisticamente pelo teste do Qui-quadrado e considerados significantes quando
p<0,05. Os resultados sugerem um aumento significativo da sobrevida de membros isquêmicos após utilização do
alopurinol e estreptoquinase. A terapia com oxigênio hiperbárico diminuiu significativamente a sobrevida dos membros isquêmicos.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

José Carlos Faes da Silva, Universidade de São Paulo, Faculdade de Medicina
Acadêmico da Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo
Danielle Tiemi Simão, Universidade de São Paulo, Faculdade de Medicina
Acadêmica da Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo
Leandro Gregorut Lima, Universidade de São Paulo, Faculdade de Medicina
Acadêmico da Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo
Marcelo Sacramento Cunha, Universidade de São Paulo, Faculdade de Medicina
Acadêmico da Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo
Alexandre Wada, Universidade de São Paulo, Faculdade de Medicina
Residente do Departamento de Cirurgia Plástica da Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo. Orientador.
Hugo Nakamoto, Universidade de São Paulo, Faculdade de Medicina
Residente do Departamento de Cirurgia Plástica da Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo. Orientador.
Marcus Castro Ferreira, Universidade de São Paulo, Faculdade de Medicina
Professor Titular da Disciplina de Cirurgia Plástica e Queimaduras da Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo
Publicado
2001-12-09
Como Citar
Silva, J. C., Simão, D., Lima, L., Cunha, M., Wada, A., Nakamoto, H., & Ferreira, M. (2001). Modelo experimental de reimplante de membro após isquemia quente em ratos e efeito da estreptoquinase, alopurinol e terapia com oxigênio hiperbárico. Revista De Medicina, 80(2-4), 78-88. https://doi.org/10.11606/issn.1679-9836.v80i2-4p78-88
Seção
Artigos