Da “devoração” à hospitalidade

uma narrativa alimentar à moda antiga

Autores

  • Francys Silvestrini Adão Faculdade Jesuíta de Filosofia e Teologia de Belo Horizonte

DOI:

https://doi.org/10.11606/issn.2596-3147.v1i1p283-296

Palavras-chave:

Narrativas alimentares, Bíblia, Maná, Banquete, Tradição

Resumo

Neste artigo, o autor propõe uma interpretação de alguns paradigmas alimentares das narrativas bíblicas, em diálogo com a reflexão do exegeta português José Tolentino Mendonça. Uma leitura da evolução do discurso sobre o maná e o banquete, assim como o exame da especificidade de duas grandes festas de Israel, colocarão em evidência utopias, valores e incoerências presentes na organização social deste povo. Entretanto, a força destas narrativas consiste justamente na conservação e na transmissão destas tensões e conflitos, mantendo o caminho aberto para a sadia personalização das novas gerações pertencentes a esta tradição.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Francys Silvestrini Adão, Faculdade Jesuíta de Filosofia e Teologia de Belo Horizonte

Professor da Faculdade Jesuíta de Filosofia e Teologia (Faje), de Belo Horizonte, e doutor em Teologia pelo Centre Sèvres-Facultés Jésuites de Paris, onde defendeu sua tese "La vie comme nourriture. Pour un discernement eucharistique de l’humain fragmenté" (“A vida como alimento. Por um discernimento eucarístico do humano fragmentado”).

Referências

BEAUCHAMP, Paul. Ley-Profetas-Sabios. Madri: Cristiandad, 1977.
BÍBLIA de Jerusalém. São Paulo: Paulus, 2002.
BONNET, Serge. La cuisine d’Emmaüs. Paris: Cerf, 1979.
BORGES, Jorge Luis. Os conjurados. Lisboa: Difel, 1985.
CERTEAU, Michel de. L’invention du quotidien. 1. Arts de faire. Paris: Gallimard, 1980.
DOUGLAS, Mary. Purity and danger: An analysis of the concepts of pollution and taboo.
London: Routledge, 1966.
ELIADE, Mircea. Tratado de história das religiões. Lisboa: Asa, 1992.
HUYGHE, François-Bernard. Un voyage mystérieux. Le courrier de l’Unesco, Paris, v. 48, n. 5, pp. 9-12,1995.
LETE, Gregorio del Olmo. Mitos y leyendas de Canaan segun la tradición de Ugarit. Madri: Cristandad, 1981.
MÉNDEZ-MONTOYA, Angel. The Theology of Food. Eating and the Eucharist. Nova Jersey:
Wiley-Blackwell, 2009.
NEUSNER, Jacob. Two pictures of the Pharisees: philosophical circle or eating club. Anglican
Theological Review, Sewanee, n. 64, pp. 525-538, 1982.
PAGAZZI, Giovanni Cesare. La cucina del Risorto. Gesù “cuoco” per l’umanità affamata. Bologna: EMI, 2014. RICŒUR, Paul. Temps et récit (1, 2 et 3). Paris: Seuil, 1983-1985.
THE Theology of Food. Interpretation: a Journal of Bible and Theology, v. 67, n. 4, out. 2013.
TOLENTINO MENDONÇA, José. A leitura infinita. Bíblia e interpretação. Lisboa: Assírio & Alvim, 2008.
TOLENTINO MENDONÇA, José. Pai-Nosso que estais na terra. O Pai-Nosso aberto a crentes e a não-crentes. Prior Velho: Paulinas, 2011.
TOLENTINO MENDONÇA, José. Nenhum caminho será longo. Para uma teologia da amizade. Prior Velho: Paulinas, 2012.
TOLENTINO MENDONÇA, José. A mística do instante. O tempo e a promessa. Prior Velho: Paulinas, 2014.
TOLENTINO MENDONÇA, José. A construção de Jesus. A surpresa de um retrato. Prior Velho: Paulinas, 2015.
TOLENTINO MENDONÇA, José. O pequeno caminho das grandes perguntas. Lisboa: Quetzal, 2017.
VAUX, Roland de. Les institutions de l’Ancien Testament. Paris: Cerf, 1991.

Downloads

Publicado

2019-03-28

Como Citar

Adão, F. S. (2019). Da “devoração” à hospitalidade: uma narrativa alimentar à moda antiga. Revista Ingesta, 1(1), 283-296. https://doi.org/10.11606/issn.2596-3147.v1i1p283-296

Edição

Seção

Artigos