Raça e evolucionismo, as Ciências Sociais no Brasil: querela entre Sílvio Romero e Manoel Bonfim em torno da herança portuguesa na formação brasileira.

  • CICERO JOÃO COSTA Universidade de São Paulo
Palavras-chave: Ciências Sociais, Brasil Século XIX, Raça, Meio, Identidade Nacional

Resumo

Sílvio Romero juntamente com Manoel Bonfim foram dois importantes intérpretes da cultura brasileira. Dialogando com teorias à época concebidas como a última verdade científica, os dois escritores analisaram o Brasil e pensaram seus problemas, propondo sua superação. Com uma visão minuciosa possibilitada pela gama de autores da crítica moderna, Sílvio Romero buscou esquadrinhar a cultura brasileira tendo por base as leis orgânicas, ao passo que Manoel Bonfim, embora conhecesse alguns teóricos que influenciaram o bacharel, fugiu ao determinismo, trazendo as causas do atraso para o campo político, econômico, da cultura no geral. Vivendo momentos conturbados de um Brasil moderno que estava por vir, os dois escritores acima de tudo refletem problemas maiores que os de uma obra literária, expõem os problemas do país, suas causas e apontam a “melhor política” para o novo Brasil.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

CICERO JOÃO COSTA, Universidade de São Paulo

Graduado pela Universidade Federal do Ceará (História), Graduado pelo Universidade estadual do Ceará ( Filosofia). Mestre em História Social pela USP. Doutor pela USP. Pós Doutorando pela USP.

Referências

ALONSO, Ângela. (2002) Ideias em movimento: a geração 1870 na crise do Brasil-Império. São Paulo: Paz e Terra.

BOMFIM, Manoel (2008). América Latina: males de origem. Centro edelstein de pesquisas sociais

CANDIDO, Antonio. (2006) A Sociologia no Brasil. Tempo Social, 18(1): pp. 271-301.

______O romantismo no Brasil. (2004) São Paulo: Humanitas/FFLCH.

______Radicalismos. (1988) Radicalismos. Estudos Avançados, 4(8), pp. 4-18

CARVALHO, José Murilo de. (2003) A construção da ordem: a elite política imperial. Teatro de sombras: a política imperial. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira.

COSTA, João Cruz. (1967) Contribuição à história das ideias. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira.

ROMERO, Sílvio. (2002) Estudos de Literatura Contemporânea. (edição comemorativa). Rio de Janeiro: Imago Editora; Aracaju; Sergipe: Universidade Federal de Sergipe, 2002. (1ª. Ed. 1884)

______História da Literatura Brasileira (1960). Rio de Janeiro: José Olímpio.

______Doutrina contra doutrina: o evolucionismo e positivismo na República do Brasil (1894). Rio de Janeiro: Editor J. B. Nunes.

______O Brasil social e outros estudos sociológicos (2001). Brasília: Senado Federal.

______Provocações e debates. Contribuições para o estudo do Brasil Social (1908). Porto: Imprensa Moderna.

GUIMARÃES, Manoel Luís Salgado. (1998) Nação e Civilização nos Trópicos. Estudos Históricos, 1. pp. 5-27.

PAIM, Antônio. (1967) História das ideias filosóficas no Brasil. São Paulo: Grijalbo.

SCHWARCZ, Lilia M. (1993) O espetáculo das raças: raças, cientistas, instituições e questão racial no Brasil, 1870-1930. São Paulo: Companhia das Letras

SILVA, José Maria de Oliveira. (2006) Da Revolução à Educação – Radicalismo republicano em Manoel Bomfim. Dissertação de Mestrado em História Social da FFLCH/USP. São Paulo. p.208

Publicado
2018-12-31
Como Citar
COSTA, C. (2018). Raça e evolucionismo, as Ciências Sociais no Brasil: querela entre Sílvio Romero e Manoel Bonfim em torno da herança portuguesa na formação brasileira. Intelligere - Revista De Historia Intelectual, (6), 26. https://doi.org/10.11606/issn.2447-9020.intelligere.2018.140464