HABITAR NAS ‘BUFFER ZONES’: DIRETRIZES ECO-SOCIAIS PARA UMA ARQUITETURA INTEGRADA À INFRAESTRUTURA VERDE

  • José Otávio Lotufo Universidade de São Paulo. Faculdade de Arquitetura e Urbanismo
Palavras-chave: Arquitetura, Urbanismo, Projeto sustentável, Resiliência ecológica urbana

Resumo

A pesquisa em Infraestrutura Verde se dá principalmente através do projeto da paisagem e da reconstituição da floresta urbana. Esta ênfase importante orienta transformações para o enfrentamento dos atuais desafios ambientais. Neste esforço conceitual e prático, surge uma questão de suma importância. Como o projeto arquitetônico, concomitante ao cumprimento de suas funções sociais, pode contribuir com os serviços ecossistêmicos prestados pela Infraestrutura Verde? O edifício, frequentemente um obstáculo aos processos ecossistêmicos, obstrui ou condiciona seus fluxos por desenhos distantes de uma abordagem ecológica. Ao propor o projeto da arquitetura como fator de contribuição à resiliência ecológica urbana, nós propomos diluir as fronteiras entre construção e paisagem, integrando o edifício à infraestrutura verde e redefinindo suas funções para além do programa arquitetônico tradicional.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

José Otávio Lotufo, Universidade de São Paulo. Faculdade de Arquitetura e Urbanismo

Arquiteto e urbanista pela Faculdade de Belas Artes da São Paulo (1996), mestre na área de Projeto Arquitetônico pela FAU-USP (2011), doutor na área de Projeto Arquitetônico pela FAU-USP (2016)

Referências

BENEDICT, Mark A.; MCMAHON, Edward T. Green Infraestructure – Linking landscapes and communities. Washington: Island Press, 2006.

BONZI, Ramón Stock. Andar sobre Água Preta: a aplicação da Infraestrutura Verde em áreas densamente urbanizadas.

FRANCO, Maria Assunção Ribeiro. Planejamento ambiental para a cidade sustentável. São Paulo: Annablume,FAPESP, 2001.

GEHL, Jan, Cities for people. Washington DC: Island Press, 2010.

GUNDERSON, Lance H; ALLEN Craig R.; HOLLING, C. S.. Foundations of ecological resilience.

GUNDERSON, Lance H.; HOLLING, C.S. Panarchy, understanding transformations in human and natural systems. Washington: Island press, 2002.

HASS, Tigran (editor). Sustainable Urbanism and Beyond. Nova Iorque: Rizzoli, 2012

HILLMAN, James. Cidade e alma. São Paulo: Studio Nobel, 1993

HOUGH, Michael. Cities and natural process. London: Routledge, 1995.

KATZ,P. (org). The new urbanism – Toward an architecture of community. New York: Mc Graw-Jill, 1994.

LOTUFO, José Otávio. Oikos: Reintegrando natureza e civilização. Em, Revista LABVERDE n. 02. São Paulo: FAU-USP, 2011.

LOTUFO, José Otávio. Projeto Sustentável – Resiliência Urbana para o bairro da Pompéia. Tese de Doutorado, FAU-USP, 2016.

MOSTAFAVI, Mohsen ; DOHERTY, Gereth. Ecological urbanism. Baden: Lars Müller, 2010.

ORBELLE, Oscar; YANNAS, Simos. Em Busca de uma Arquitetura Sustentável para os Trópicos. Rio de Janeiro: Revan, 2003

PEVSNER, Nikolaus. Visual planning and the picturesque. Los Angeles: Getty, 2010

PICKETT, S.T.A.; CADENASSO, M.L.; MCGRATH, Brian. Resilience in ecology and urban design – Linking theory and practice for sustainable cities. New York/London: Springer, 2013.

SÃO PAULO. Câmara Municipal. Lei 16.050/14, Plano Diretor Estratégico. São Paulo: Câmara Municipal, 2014

SCHUTZER, José Guilherme. Cidade e meio ambiente – A apropriação do relevo no desenho ambiental urbano. São Paulo: Edusp, 2012.

WALDHEIN, Charles (org.). The landscape urbanism reader. New York: Princeton Architectural Press, 2006.

YEANG, Ken. Proyectar con la naturaleza. Barcelona: GG, 2007.

Publicado
2017-09-11
Como Citar
Lotufo, J. (2017). HABITAR NAS ‘BUFFER ZONES’: DIRETRIZES ECO-SOCIAIS PARA UMA ARQUITETURA INTEGRADA À INFRAESTRUTURA VERDE. Revista LABVERDE, 8(2), 91-127. https://doi.org/10.11606/issn.2179-2275.v8i2p91-127