ARBORIZAÇÃO URBANA E CONFORTO TÉRMICO: UM ESTUDO PARA A CIDADE DE CAMPINAS/SP/ BRASIL

Autores

  • Léa Yamaguchi Dobbert Escola Superior de Agricultura “Luiz de Queiroz” da Universidade de São Paulo
  • Helena Cristina Padovani Zanlorenzi Escola Superior de Agricultura “Luiz de Queiroz” da Universidade de São Paulo

DOI:

https://doi.org/10.11606/issn.2179-2275.v0i9p73-85

Palavras-chave:

conforto térmico, ambiente urbano, microclima, PET, RayMan, Campinas-SP

Resumo

O presente estudo analisou as condições de conforto térmico de duas áreas da cidade de Campinas / SP-Brasil, distintos quanto à ocupação e quantidade de arborização. Para a avaliação de conforto térmico, foram medidas as seguintes variáveis climáticas: temperatura e umidade relativa do ar, temperatura de globo e velocidade do vento, a fim de se avaliar as diferenças entre as áreas de estudo. Constatou-se que a umidade relativa e temperatura do ar apresentaram alterações devido à presença ou ausência de árvores. A sombra das árvores, ao reduzir a temperatura do ar, aumenta o conforto térmico. Os valores de PET (Phisiologically Equivalent Temperature-Temperatura Equivalente Fisiológica) indicaram o Jardim das Paineiras (20,80°C PET), bairro predominantemente residencial e bastante arborizado, como sendo mais confortável que o Centro, local bastante adensado e pouco arborizado (23,60°C PET). Portanto, pôde-se constatar a influência positiva da presença de árvores no microclima urbano, ao proporcionar maior conforto térmico aos seu habitantes, indicando ainda que maior atenção deve ser à arborização urbana pelos planejadores das cidades. 

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Léa Yamaguchi Dobbert, Escola Superior de Agricultura “Luiz de Queiroz” da Universidade de São Paulo

Arquiteta, doutoranda em Recursos Florestais pela Escola Superior de Agricultura “Luiz de Queiroz” da Universidade de São Paulo, Piracicaba – SP. E-mail: ldobbert@usp.br

Helena Cristina Padovani Zanlorenzi, Escola Superior de Agricultura “Luiz de Queiroz” da Universidade de São Paulo

Arquiteta, mestranda em Recursos Florestais pela Escola Superior de Agricultura “Luiz de Queiroz” da Universidade de São Paulo, Piracicaba – SP. E-mail: helenapz@usp.br

Referências

CHENG, V.; NG, E.; CHAN, C.; GIVONI, B.An experiment of urban human thermal comfort in hot and humid sub-tropical city of Hong Kong under high density urban morphological conditions, Hong Kong. In: JAPANESE-GERMAN MEETING ON URBAN CLIMATOLOGY, 2009. Freiburg. Proceedings… Freiburg, 2009.p.179-184

COHEN , P.; POTCHTER, O.; MATZARAKIS, A. Daily and seasonal climatic conditions of green urban open spaces in the Mediterranean climate and their impact on human comfort, Building and Environment V.51, 2012, p. 285-295

DACANAL, C.; LABAKI, L. C. Vamos passear na floresta! O conforto térmico em fragmentos florestais urbanos, Ambiente Construído, Porto Alegre, v. 10, p.115-132, 2010

DIMOUDI A, NIKOLOPOULOU M. Vegetation in the urban environment: microclimatic analysis and benefits. Energy and Buildings; v.35, p.69-76, 2003.

FONTES, M.S.G.C.; ALJAWABRA, F.; NIKOLOPOULOU, M. Open Urban Spaces Quality: a Study in a Historical Square in Bath-UK. In 25 th Conference on passive and Low Energy architecture - PLEA, Dublin 2008, Proceedings… CD-ROM, 7p.

KATZSCHNER, L. Behavior of people in open spaces of thermal comfort conditions. In: Passive and low energy architecture international conference, 23., 2006. Geneve. - PLEA, Genève. Proceedings… Genève: Universitè de Genève, 2006. 5p.

MILLWARD, A.; SABIR, S. Structure of a forested urban park: Implications for strategic management., Journal of Environmental Management, v. 91, p. 2215-2224, 2010.

MODNA, D.; VECCHIA,F. Calor e áreas verdes: um estudo preliminar do clima de São Carlos; Curitiba; ENCAC-COTEDI, 2003. 8p.

MATZARAKIS, A.; RUTZ, F.; MAYER, H. Modeling radiation fluxes in simple and complex environments- application the RayMan model, International Journal of Biometeorology, v.51, p.323-334, 2007.

NIKOLOPULOU, M.; LYKOUDIS, S. Thermal comfort in outdoor urban spaces: Analysis across different European countries. Building and Environment, Oxford, v. 41, p. 1455-1470, 2006.

NIKOPOULOU, M.; STEEMERS, K. Thermal Comfort and psychological adaptation as a guide for designing urban spaces., Energy and Buildings, Oxford, v. 35, p.95-101, 2003

OKE, T. R. Boundary layer climates. London: Methuen, 1978, 372 p.

OLIVEIRA, L. A.; MASCARÓ, J. J. Análise da qualidade de vida urbana sob a ótica dos espaços públicos de lazer. Ambiente Construído, v. 7, n. 2, p. 59 – 69, 2007.

SENANAYAKE, I. et al. Remote sensing based analysis of urban heat islands with vegetation cover in Colombo city, Sri Lanka using Landsat-7 ETM+ data. UrbanClimate, v.5 p. 19-35, 2013.

SPIRN, A. W. O Jardim de Granito: a natureza no desenho da cidade. São Paulo: Edusp, 1995, 360p.

ULRICH, R. S. Health Benefits of Gardens in Hospitals. Paper for conference, Plants for People, International Exhibition Floriade, 2002, 10p.

WHITEHOUSE, S.VARNI, J. W.,SEID,M.,COOPER-MARCUS C., ENSBERG, M.J., JACOBS,J.R., MEHLENBECK, R.S. Evaluating a children’s hospital garden environment: Utilization and consumer satisfaction. Journal of Environmental Psychology, v.21, p.301-314, 2001.

Downloads

Publicado

2015-01-28

Como Citar

Dobbert, L. Y., & Zanlorenzi, H. C. P. (2015). ARBORIZAÇÃO URBANA E CONFORTO TÉRMICO: UM ESTUDO PARA A CIDADE DE CAMPINAS/SP/ BRASIL. Revista LABVERDE, (9), 73-85. https://doi.org/10.11606/issn.2179-2275.v0i9p73-85

Edição

Seção

Artigos