Matemática e Música sob uma Perspectiva Histórico/Epistemológica: Mudanças Conceituais

Autores

  • Oscar João Addounur IME-USP

DOI:

https://doi.org/10.11606/rm.v14i1.115249

Palavras-chave:

matemática/música, Renascimento, conceito de número, transformações estruturais

Resumo

A passagem do final do século XV para o início do século XVI testemunhou o aparecimento da geometria como instrumento para resolução de problemas em música teórica e, de forma não independente, mudanças na concepção de razão/número subjacente à música teórica. O teórico musical e matemático Erasmus Horicius surgiu como um importante humanista alemão deste período envolvido com questões musicais. Ele resgatou fontes gregas, possibilitando a teóricos da época o acesso a importantes frutos do reavivamento do interesse por textos antigos, sendo o primeiro, por exemplo, no Renascimento a aplicar explicitamente geometria euclidiana para resolver problemas em música teórica. Dentre os problemas considerados, Erasmus propôs uma divisão igual numérica do intervalo de tom inteiro, que pressupõe importantes transformações nas concepções de razão, em particular, na direção de promover a emergência da ideia de número real em contextos teórico-musicais. 

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Publicado

2014-05-10

Como Citar

Addounur, O. J. (2014). Matemática e Música sob uma Perspectiva Histórico/Epistemológica: Mudanças Conceituais. Revista Música, 14(1), 115-128. https://doi.org/10.11606/rm.v14i1.115249

Edição

Seção

Artigos