A difusão da tablatura para teclados e o exercício cortesão da arte da música no Renascimento

Autores

  • Delphim Rezende Porto Universidade de São Paulo. Escola de Comunicações e Artes

DOI:

https://doi.org/10.11606/rm.v17i1.144610

Palavras-chave:

Renascimento, Retórica musical, studia humanitatis, teclados históricos, tablatura

Resumo

O presente artigo pretende examinar a produção de livros de partituras, manuais e tratados de música impressos ao longo do Renascimento, especialmente na Itália, na perspectiva do seu público leitor. Assunto celebrado por diversos e relevantes autores humanistas, a música goza naquela cultura de um múltiplo entendimento e finalidade. Seu exercício cortesão e profissional bem como seus respectivos meios e justificativas são analisados a partir das referidas edições – das quais se destacam as de musica prattica em partitura e tablatura. É relevante para tal empresa o conhecimento tanto do aparato retórico que as acompanha quanto do decoro das mesmas em função do seu estatuto liberal – ou não – e tais questões são o objeto da seguinte discussão.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Publicado

2017-03-21

Como Citar

Porto, D. R. (2017). A difusão da tablatura para teclados e o exercício cortesão da arte da música no Renascimento. Revista Música, 17(1), 230-249. https://doi.org/10.11606/rm.v17i1.144610