O Padre José Maurício Nunes Garcia e o mulatismo musical

embranquecimento histórico?

Autores

  • Pedro Vaccari Universidade Estadual Paulista Julio de Mesquita Filho

DOI:

https://doi.org/10.11606/rm.v18i1.145563

Resumo

A partir de um enfoque antropológico descobriu-se quão necessária foi a figura do Padre mulato para a consolidação do chamado “mulatismo musical” no Brasil e posterior alforria e ascensão do negro dentro da História nacional. Utilizando o ideário de Sérgio Buarque de Holanda de transposição literal de elementos europeus ao Brasil identificamos traços na obra do padre músico que seriam da mesma ordem, ou seja, muitas de suas características foram importadas da Europa diretamente, sem considerar as idiossincrasias nacionais. No entanto, nem por isso elas deixam de ser brasileiras, como afirma Mário de Andrade – a música europeia está, como a africana e a ameríndia, no inconsciente do povo, e transparece na obra de José Maurício com maior ênfase, em todas as suas distintas três fases. Arquétipo nacional do mulato em música, questiona-se, ainda, a sua verdadeira origem: não seria ele realmente um negro embranquecido pela História?

 

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Pedro Vaccari, Universidade Estadual Paulista Julio de Mesquita Filho

Pedro Vaccari é bacharel em Canto pela Unesp, onde também concluiu seu Mestrado em Performance, sob orientação de Martha Herr. Na Alemanha estudou com o tenor Gerd Türk, e no Brasil com Neyde Thomas e o tenor Fernando Portari. Cantou em Masterclass para Kiri te Kanawa, para o tenor Luiz Tenaglia e diversas outras Masterclasses, como da Universidade de Atlanta (EUA). Recentemente teve aulas na Itália com o tenor Nicola Pamio. Sob a direção de Mauro Wrona cantou diversas pocket óperas, foi bolsista do CNPq por três vezes consecutivas, e atualmente é doutorando pela Unesp, sob a orientação de Dorotea Kerr. Foi selecionado para a Bachakademie em Stuttgart na Alemanha, e desde 2008 integra o Coral Paulistano do Teatro Municipal de São Paulo. Também poeta, publicou poemas pela editora portuguesa Chiado e pela brasileira Vivara, e sua antologia poética foi indicada para publicação. Semifinalista do Concurso Os Três Tenores promovido pela Rede Record, também foi classificado para o Programa Prelúdio, da TV Cultura, onde cantou a primeira audição nacional da ópera L´esule di Roma de Donizetti. Especialista em Música brasileira, gravou CD com peças de Ronaldo Miranda, orientado pelo próprio compositor, e desenvolve pesquisa etnomusicológica sobre o Padre José Maurício Nunes Garcia. Foi banca do Congresso de Iniciação Científica da Unesp em 2012, e teve artigos publicados pela Anppom, Unirio, etc. Estudou piano com Claudio Tegg.

Downloads

Publicado

2018-08-27

Como Citar

Vaccari, P. (2018). O Padre José Maurício Nunes Garcia e o mulatismo musical: embranquecimento histórico?. Revista Música, 18(1), 170-185. https://doi.org/10.11606/rm.v18i1.145563

Edição

Seção

Artigos