Pendule, para trio de flauta, violoncelo e piano

comentário sobre a obra

  • Patricia de Carli
Palavras-chave: Pendule, Flauta, Cello, Piano, Patricia de Carli, Partitura

Resumo

Pendule para trio é uma peça em que busca-se traduzir por meios musicais o experimento do pêndulo de Léon Foucault. Quando o pêndulo é colocado em movimento, sua oscilação depende somente da força gravitacional, da tração e da resistência do ar, o que faz diminuir a amplitude das oscilações com o passar do tempo. Ao transpormos isto para a música, podemos considerar um eixo estrutural da peça a partir do qual alterações podem ou não ocorrer dependendo do ambiente que as entorna. Os materiais musicais contidos são interpretados como impulso, suspensão, relaxamento, aceleração e eixo. Quando os impulsos são aplicados ao pêndulo, as oscilações nunca são as mesmas pois as diferentes forças atuam sempre de forma diversa. Na forma musical isso é apresentado, por exemplo, na orquestração, como diferentes maneiras de mesclar o timbre, resultando em diferentes interpretações dos movimentos do pêndulo. Cada parte desta peça representa uma variação do ponto de vista dos aspectos físicos presentes em um pêndulo.

Link para escuta: https://soundcloud.com/patriciadecarli/pendule-2016

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Patricia de Carli

Natural de São Paulo, graduou-se em composição musical pela UniFIAMFAAM em 2009. Foi a vencedora do Concurso Nacional de Composição Camargo Guarnieri em 2013 com sua peça “ARCTURUS (Alpha Böotes)” para orquestra. Estreou em 2015 sua obra NEBULAE para saxofone soprano e orquestra na Sala São Paulo, com a Orquestra Sinfônica de São José dos Campos e o solista Marcelo Coelho. Participou, em 2014, da Série de Música de Câmara Brasileira do Theatro São Pedro e da série Mais que uma Canção pelo CPFL de Campinas com sua peça “Cromologia (Faixa 18)”, para soprano, piano, clarone e percussão. Em 2017 teve sua peça "Quebra-cabeça" para ensemble estreada na XXII Bienal de Música Contemporânea Brasileira pelo Cron Ensemble, e posteriormente, tocada pelo Ensemble Court-Circuit em Paris. No Brasil foi orientada por Rodrigo Lima, Mauricio de Bonis, Silvio Ferraz, Eduardo Guimarães Álvares, Marcus Siqueira e André́ Ribeiro. Residente na França desde 2015, possui o DEM (Diplôme d’Études Musicales) em Composição Musical, Orquestração, Eletroacústica e Análise pelo Conservatoire à Rayonnement Régional de Boulogne-Billancourt na região Parisiense, sob orientação de Jean-Luc Hervé e Yan Maresz.

Publicado
2019-07-03
Como Citar
Carli, P. (2019). Pendule, para trio de flauta, violoncelo e piano. Revista Música, 19(1), 311-315. https://doi.org/10.11606/rm.v19i1.158112