A Visão Caleidoscópica de "O Pente de Istambul" de Gilberto Mendes

Autores

  • Carlos Tarcha Universidade de São Paulo

DOI:

https://doi.org/10.11606/rm.v3i1.55040

Resumo

"O Pente de Istambul" é uma obra para percussão, escrita em 1990 e dedicada ao Duo Diálogos. O título, de originalidade típica de Gilberto Mendes, é conseqüência de uma viagem à Turquia, onde o compositor adquiriu um pente de plástico, sem nenhuma distinção marcante. O pente sumiu, apareceu, foi novamente perdido e reencontrado, chamando assim a atenção de Gilberto, passando a adquirir uma certa identidade, transformando-se, gradativamente, em "O Pente de Istambul", expressão de sonoridade instigante, cuja conotação de mistérios e de exotismo levou Gilberto a usá-la para denominar a obra encomendada pelo Duo Diálogos. A peça é estruturada a partir de um material serial. Apesar disso, o compositor, inspirado pelos timbres do instrumental de percussão, envolveu "O Pente de Istambul" numa ambientação de música popular - reminiscências do jazz, sonoridades e ritmos típicos do Brasil e da América Latina.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Carlos Tarcha, Universidade de São Paulo

Professor de percussão do Departamento de Músicada ECA/USP.

Downloads

Publicado

1992-05-01

Como Citar

Tarcha, C. (1992). A Visão Caleidoscópica de "O Pente de Istambul" de Gilberto Mendes. Revista Música, 3(1), 82-87. https://doi.org/10.11606/rm.v3i1.55040

Edição

Seção

Artigos