Correspondência entre Guerra-Peixe e Lopes-Graça

Autores

  • Ricardo Tacuchian Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro (UNIRIO)

DOI:

https://doi.org/10.11606/rm.v11i0.55099

Resumo

Femando Lopes-Graça, embora perseguido pelo regime salazarista, assumiu importante posição no cenário musical português após a Revolução dos Cravos, de 1974, e a instalação de um regime constitucional, a partir de 1976. Inúmeros músicos brasileiros mantiveram intercâmbio com o músico português em ocasiões em que ele dirigia entidades culturais em Lisboa. Neste trabalho faremos referência apenas ao intercâmbio de correspondência entre Lopes-Graça e Guerra-Peixe. A correspondência de Guerra-Peixe tem um caráter de depoimento. Nela o ilustre compositor expõe seu credo estético e comenta o meio artístico brasileiro com mais espontaneidade do que o faria se o texto se destinasse a ser lido em território nacional. Além desta correspondência, fizemos um levantamento da Coleção C. Guerra-Peixe, encontrada na Divisão de Música da Biblioteca Nacional, no Rio de
Janeiro, onde localizamos algumas cartas de Lopes-Graça enviadas ao seu colega brasileiro. Este intercâmbio é rico em informações históricas e posicionamentos estéticos dos dois artistas.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Ricardo Tacuchian, Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro (UNIRIO)

Compositor e professor da Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro (UNIRIO)

Downloads

Publicado

2006-12-17

Como Citar

Tacuchian, R. (2006). Correspondência entre Guerra-Peixe e Lopes-Graça. Revista Música, 11, 97-110. https://doi.org/10.11606/rm.v11i0.55099

Edição

Seção

Artigos