Três estruturas de tempo em "O King" de Luciano Berio

Autores

  • Silvio Ferraz Mello Universidade Estadual de Campinas – UNICAMP

DOI:

https://doi.org/10.11606/rm.v13i1.55106

Resumo

Este artigo tem por tema a análise de estruturas de tempo empregadas por Luciano Berio na composição de O King. Como método de análise de tais estruturas tomamos como ponto de partida uma releitura das estruturas de tempo (fora-do-tempo, temporal e no-tempo) desenvolvidas por Iannis Xenakis primeiramente em sua palestra “Trois Poles de Condensation”, de 1962. O artigo propõe assim uma apresentação de tais estruturas de tempo concebidas por Xenakis e sua aplicação na análise do contraponto entre tais estruturas na obra de Berio. O propósito é o de demonstrar não apenas a potencialidade desta ferramenta analítica como de observar a própria estratégia composicional de Luciano Berio ao empregar elementos e estruturas dispares em uma determinada obra de modo a obter kinesis e consistência em seu plano de composição.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Publicado

2012-06-17

Como Citar

Mello, S. F. (2012). Três estruturas de tempo em "O King" de Luciano Berio. Revista Música, 13(1), 61-95. https://doi.org/10.11606/rm.v13i1.55106

Edição

Seção

Artigos