Jankélévitch e os Opostos Sonoros em Harmonia

Autores

  • José Eduardo Martins Universidade de São Paulo

DOI:

https://doi.org/10.11606/rm.v7i1/2.59970

Resumo

Os escritos de Vladimir Jankélévitch devem ser interpretados com cautela. Os seus textos sobre música são sobremaneira sedutores, a possibilitarem um descortino outro. Polêmicos, é certo, pois todo um referencial recriado sob a influência do pensador propicia um novo approach quanto às vertentes subjetivas da partitura. Sem jamais se ater às exegéticas correntes analíticas dissecadoras em suas estatísticas, menos ainda aos fatos da trajetória real de um compositor ou as tradicionalizadas histórias de uma obra, está o filósofo-musicólogo a pairar nas sensíveis ambigüidades, buscando reflexões no nível dos antagonismos em torno do inefável, paradoxalmente tornando próximos o texto literário-musical e o objeto essencial, a partitura, princípio absoluto do decorrente.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

José Eduardo Martins, Universidade de São Paulo

Pianista e Professor do Departamento de Música da Universidade de São Paulo

Downloads

Publicado

1996-12-12

Como Citar

Martins, J. E. (1996). Jankélévitch e os Opostos Sonoros em Harmonia. Revista Música, 7(1-2), 107-121. https://doi.org/10.11606/rm.v7i1/2.59970

Edição

Seção

Artigos