A Prática dos Afetos (Estética em Gesualdo)

  • Luís Antônio Giron Universidade de São Paulo

Resumo

O presente trabalho trata de um ensaio de resgate do caráter extramusical da poética gesualdiana a partir dos fundamentos de sua escritura musical. Em Gesualdo, uma filosofia existencial e a estética estão entranhadas em suas enarmonias, cromatismos, saltos intervalares olímpicos. Debruçar-se sobre ela é como estar num mundo desusado que prenuncia o Romantismo e o niilismo contemporâneo. Mas sua música continua a viver (embora sem muitos ouvintes ou executantes) como um grifo que nos assusta, encanta e suscita a análise de sua anatomia excêntrica. Ela soa como discurso poético que, vez por outra, deriva para o argumento
estético. É uma quase não-música, que inspirou os primeiros tratadistas do Barroco a elaborarem axiomas sobre como a música deveria exprimir sentimentos. A prática dos afetos levou à elaboração de sua teoria.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Luís Antônio Giron, Universidade de São Paulo
Jornalista, crítico de música e mestre em musicologia pela USP
Publicado
1999-12-06
Como Citar
Giron, L. (1999). A Prática dos Afetos (Estética em Gesualdo). Revista Música, 10, 51-75. https://doi.org/10.11606/rm.v10i0.61750
Seção
Artigos