Métron: A Lira, a Flauta e o Compasso

Autores

  • Mário Henrique Simão D'Agostino Universidade de São Paulo

DOI:

https://doi.org/10.11606/rm.v12i0.61767

Resumo

Um exame dos liames entre Música e Arquitetura que se fiam com a Renascença Italiana comporta embaraços imediatos, tais como a correlata e imprescindível indagação de suas alianças com a perspectiva linear ou matemática, técnica de representação gráfica da imagem visual mediante cálculos rigorosos das medidas aparentes, conquista precípua das "arti del disegno" renascentistas, conexa, por sua vez, à "matematização da Natureza" anelada pela ciência moderna. Sói principiar pela questão da perspectiva exata também aquele que se propõe o exame das implicações
do chamado "processo de racionalização do espaço", no transcurso dos séculos XV ao XVIII, sobre os princípios "cósmico-musicais" da arquitetura do Renascimento.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Mário Henrique Simão D'Agostino, Universidade de São Paulo

Professor da FAU, Faculdade de Arquiteturae Urbanismo da Universidade de São Paulo.

Downloads

Publicado

2007-12-17

Como Citar

D’Agostino, M. H. S. (2007). Métron: A Lira, a Flauta e o Compasso. Revista Música, 12, 101-131. https://doi.org/10.11606/rm.v12i0.61767

Edição

Seção

Artigos