Crianças, aprendizes, impropriedades ou inabilidades: os acidentes de lascamento das indústrias líticas do Brasil Central (exemplo do norte do estado de Minas Gerais)

Autores

  • Maria Jacqueline Rodet Departamento de Antropologia e Sociologia da UFMG.
  • Déborah Duarte-Talim Museu de História Natural da UFMG.

DOI:

https://doi.org/10.11606/issn.2448-1750.revmae.2013.106794

Palavras-chave:

Tecnologia lítica, Crianças, Savoir-faire, Brasil Central

Resumo

O objetivo deste artigo é apresentar alguns acidentes de lascamento encontrados em coleções líticas do Brasil Central. Os mesmos estão ligados à qualidade das matérias-primas, à ausência de destreza na realização das técnicas de lascamento, à presença de aprendizes entre os lascadores mais competentes. A fabricação de instrumentos relaciona-se a imagens mentais de ordem cultural e se faz pela sucessão de gestos rápidos, não controláveis visualmente.
Eles devem, portanto, ser programados, o que demanda uma longa aprendizagem antes que os mesmos sejam assimilados e realizados de forma inconsciente. O estudo é baseando em análises de coleções a partir de conceitos e autores da Escola Francesa. A partir dos resultados obtidos, propomos uma reflexão sobre o lugar do lascamento e das indústrias líticas nessas sociedades.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Maria Jacqueline Rodet, Departamento de Antropologia e Sociologia da UFMG.

Professora do Departamento de Antropologia e Sociologia da UFMG.

 

Déborah Duarte-Talim, Museu de História Natural da UFMG.

Pesquisadora Colaboradora do Museu de História Natural da UFMG.

Downloads

Publicado

2013-12-26

Como Citar

Rodet, M. J., & Duarte-Talim, D. (2013). Crianças, aprendizes, impropriedades ou inabilidades: os acidentes de lascamento das indústrias líticas do Brasil Central (exemplo do norte do estado de Minas Gerais). Revista Do Museu De Arqueologia E Etnologia, (23), 129-138. https://doi.org/10.11606/issn.2448-1750.revmae.2013.106794

Edição

Seção

Artigos