Bases físico-ambientais da pesquisa arqueológica: o Estado de São Paulo

Autores

  • Pedro Michelutti Cheliz Núcleo de Estudos Ambientais e Litorâneos, Instituto de Geociências – UNICAMP

DOI:

https://doi.org/10.11606/issn.2448-1750.revmae.2013.106835

Palavras-chave:

Geoarqueologia, Brasil Meridional, Estado de São Paulo

Resumo

A arqueologia como ciência interdisciplinar requer a interface de múltiplas áreas do conhecimento, inclusive as ciências da terra. Seus praticantes na maioria são provindos das ciências humanas, tendo muitas vezes dificuldades de inserir a temática do quadro natural em suas análises e estudos.

Procurando auxiliar a suprir este lapso, o presente trabalho procura realizar uma sistematização orientada para a arqueologia dos aspectos gerais de conhecimentos acumulados do quadro físico-ambiental do estado de São Paulo, que sintetiza adequadamente quadro paisagístico do Brasil Meridional. Através de revisão bibliográfica e experiência de trabalhos de campo, o trabalho sintetiza as principais implicações para a ocupação humana dos principais quadros paisagísticos de São Paulo, elencando diferenciadas potencialidades e restrições associadas.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Pedro Michelutti Cheliz, Núcleo de Estudos Ambientais e Litorâneos, Instituto de Geociências – UNICAMP

Mestrando em Geociências – Núcleo de Estudos Ambientais e Litorâneos, Instituto de Geociências – UNICAMP

Downloads

Publicado

2013-12-26

Como Citar

Cheliz, P. M. (2013). Bases físico-ambientais da pesquisa arqueológica: o Estado de São Paulo. Revista Do Museu De Arqueologia E Etnologia, (23), 49-60. https://doi.org/10.11606/issn.2448-1750.revmae.2013.106835

Edição

Seção

Artigos