Efeitos do hábito de cócoras no tálus e na tíbia de indígenas pré-históricos e de um grupo atual do Brasil.

Autores

  • Marília Carvalho de Mello e Alvim Universidade Estadual do Rio de Janeiro. Departamento de Ciências Sociais
  • Dorath Pinto Uchôa Universidade de São Paulo. Museu de Arqueologia e Etnologia. e Departamento de Anatomia do Instituto de Ciências Biomédicas

DOI:

https://doi.org/10.11606/issn.2448-1750.revmae.1993.109159

Palavras-chave:

Hábito de cócoras - tálus/tíbia - Indígenas brasileiros.

Resumo

O trabalho visa a análise com parada de ocorrência de remodelações ósseas no tálus e na tíbia em função do hábito de cócoras em populações pré-históricas e em um grupo indígena atual do Brasil. No tálus foram observadas a localização, dimensão e forma das facetas de acocoramento e das extensões da face troclear, assim como o prolongamento e grau de curvatura da porção anterior da face maleolar mediai em 182 indivíduos adultos (116 masc. - 66 fem.), bem como os efeitos causais da posição de acocoramento na extremidade distai de suas tíbias. A literatura sobre o tema foi revisada e discutida e os nossos resultados comparados com os de outros autores. Uma estreita similitude na configuração óssea entre populações diversas pode ser devida às semelhanças de hábitos e condições de existência. Portanto, a série indígena brasileira é mais próxima às indianas e australianas apresentando grande contraste com as européias e egípcias.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Publicado

1993-12-05

Como Citar

Mello e Alvim, M. C. de, & Uchôa, D. P. (1993). Efeitos do hábito de cócoras no tálus e na tíbia de indígenas pré-históricos e de um grupo atual do Brasil. Revista Do Museu De Arqueologia E Etnologia, (3), 35-53. https://doi.org/10.11606/issn.2448-1750.revmae.1993.109159

Edição

Seção

Artigos