Salvamento arqueológico na área de influência da PCH Moji-Guaçu.

Autores

  • José Luiz de Morais Universidade de São Paulo. Museu de Arqueologia e Etnologia

DOI:

https://doi.org/10.11606/issn.2448-1750.revmae.1995.109220

Palavras-chave:

Moji-Guaçu - Reservatório da PCH Moji-Guaçu - Salvamento arqueológico - Horticultores pré-históricos.

Resumo

este artigo apresenta os dados resultantes da pesquisa de salvamento realizada na área de influência do Reservatório da PCH Moji-Guaçu, Estado de São Paulo. Dispensada da licença ambiental, o salvamento arqueológico foi, todavia, necessário. Aldeias pré-históricas (sítios tupiguarani) foram levantados e escavados. Vasilhas de cerâmica foram encontradas nas margens da Cachoeira de Cima, perto da cidade de Moji-Guaçu. Evidências de ocupações neobrasileiras também foram registradas.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

José Luiz de Morais, Universidade de São Paulo. Museu de Arqueologia e Etnologia

Assessor Especial de Planejamento e Meio Ambiente da Prefeitura do Município de Piraju, Estado de São Paulo.

Downloads

Publicado

1995-12-18

Como Citar

Morais, J. L. de. (1995). Salvamento arqueológico na área de influência da PCH Moji-Guaçu. Revista Do Museu De Arqueologia E Etnologia, (5), 77-98. https://doi.org/10.11606/issn.2448-1750.revmae.1995.109220

Edição

Seção

Artigos